Piauí

Sindserm diz que Prefeitura de Teresina causa perda de R$ 16 mil

O SINDSERM denuncia perseguição por parte da Prefeitura por causa de denúncias.
VITOR FERNANDES
09/08/2017 16h19 - atualizado

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Teresina (Sindserm), constatou através de auditoria, que 115 pessoas não tiveram seus pedidos de filiação atendidos ou foram retirados da lista da Prefeitura Municipal de Teresina (PMT), o que gerou um prejuízo de R$ 16 mil por mês à entidade.

O Sindicato informa que as desfiliações sem solicitação foram verificadas em órgãos como a Secretaria Municipal de Educação (Semec), Fundação Municipal de Saúde (FMS), Secretaria Municipal de Esportes e Lazer (Semel), Fundação Wall Ferraz (FWF), Secretaria Municipal de Planejamento (Semplan) e Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans).

  • Foto: DivulgaçãoSinésio SoaresSinésio Soares

Ocorreram 70 desfiliações e mais 45 pedidos de filiação que não foram efetuados entre os meses de março, abril e maio, totalizando 115 desligamentos. “Para nós, isso caracteriza uma perseguição ao Sindserm, a entidade que está ativa e denunciando diariamente sobre várias atitudes da Prefeitura de Teresina”, declarou o presidente do sindicato, Sinésio Soares.

A denúncia afirma também que foram encontrados recolhimentos abaixo do previsto em lei. Legalmente o valor mínimo da contribuição recolhida pela PMT deve ser de 1% sobre o vencimento do contracheque do servidor que contribui. Para quem tem nível básico e médio de Teresina, por exemplo, o desconto deveria ser de R$ 7,73. No caso de 32 servidores foram realizados, segundo a entidade, descontos inferiores variando de R$ 2,99 a R$ 7,67, dos quais 7 apresentaram desconto em folha de apenas R$0,01.