Geral

Tiririca é acusado de assédio sexual por ex-empregada

O advogado afirma que o deputado está sendo vítima de extorsão.
JOSEFA GEOVANA
04/07/2017 15h37 - atualizado

O Deputado Federal Tiririca (PR-SP) está sendo acusado de assédio sexual por sua ex-funcionária Maria Lúcia Gonçalves. A empregada relata que sofreu assédio durante viagens que fez com a família, e relatou que em uma das viagens, Tiririca havia jogado o celular dela no mar, pois nele continha algumas gravações de frases que ele havia dito a ela.

A defesa do Deputado afirma que Maria Lúcia, após ser demitida em junho do ano passado, pediu R$ 100 mil à família para não revelar assuntos íntimos do casal e estragar a reputação de Tiririca.

A empregada relatou na 10ª Delegacia de Polícia do Distrito Federal, durante depoimento sobre o caso a 1ª vez em que o Parlamentar a assediou. O fato teria acontecido em uma viagem que fizeram à São Paulo, em maio de 2016, onde o deputado daria uma entrevista ao programa do Jô.

  • Foto: Câmara dos DeputadosTiriricaTiririca

Maria Lúcia relatou que Tiririca ficava correndo trás dela, e que pedia ajuda, mas as pessoas riam da situação, e só a filha do parlamentar de 8 anos a defendeu, empurrando o pai. Ela ainda, assegurou que após esse episódio, o assédio continuava.

A família de Tiririca demitiu Maria Lúcia após uma viajem feita pela ao Ceará, alegando que a empregada consumia bebida alcoólica durante o expediente. O caso está sendo investigado pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Mais conteúdo sobre: