Polícia

Traficante presa na operação Malum diz que faz parte do PCC

Na operação também foram presos um servidor público e um policial civil, que repassavam informações aos traficantes.
RAYANE TRAJANO E ISABELA DE MENESES
05/09/2017 12h21 - atualizado

Jocivânia de Meneses Silva, presa na manhã desta terça-feira (05), durante a operação Malum, declarou que faz parte do Primeiro Comando da Capital (PCC). Ela e o irmão foram detidos na cidade de Piripiri, por uma equipe da Delegacia de Prevenção e Repressão a Entorpecentes (DEPRE), por suspeita de tráfico de drogas.

  • Foto: DepreJocivânia de Meneses SilvaJocivânia de Meneses Silva

O delegado Menandro Pedro, coordenador da Depre, disse que a própria Jocivânia declara o envolvimento com o crime organizado. “É uma traficante que ela tem relação com o PCC, ela que fala. Ela diz que foi batizada e é ligada ao PCC. A [equipe de] inteligência que conseguiu identificar as palavras dela”, disse.

  • Foto: Isabela de Meneses/ViagoraDelegado Menandro Pedro da Depre em coletivaDelegado Menandro Pedro da Depre em coletiva

Policial envolvido

A investigação comandado pelo o Grupo de Repressão ao Crime Organizado (GRECO), apontou que o policial Júlio Cesar de Macedo Melo atuava junto com o servidor da prefeitura, Francisco Medeiros, repassando informações para os traficantes. Os dois foram presos na manhã de hoje, em cumprimento a mandados de prisão preventiva. 

O policial será indiciado por corrupção passiva, pois recebia propina para repassar informações. Já o servidor da prefeitura de Barras, deve responder por corrupção passiva, apropriação indébita e desvio de dinheiro público (peculato).

Mais conteúdo sobre: