Polícia

Três presos na Operação Fantasma são soltos após delação premiada

Segundo o delegado "JJ" o assunto das colaborações prêmiadas não podem ser expostos, estão sob segredo de justiça.
ISABELA DE MENESES
08/08/2017 10h08 - atualizado

Três das pessoas presas na Operação Fantasma, de combate à fraude fiscal, deflagrada no dia 02 de agosto pela Delegacia Especializada de Crimes Contra a Ordem Tributária (Deccortec), fizeram colaboração premiada em acordo com o Ministério Público e a Polícia Civil do Piauí, na última sexta-feira (04).

O delegado João José, o “JJ”, da Deccortec, disse ao Viagora que os três envolvidos nas fraudes fiscais, que ganharam o direito de colaboração premiada são, Gilmara Moraes Vieira, Jailton Sousa Barbosa e Deodato Rodrigues de Sousa Neto. Os três serviam como "laranjas" no esquema e já estão em liberdade.

  • Foto: Josefa Geovana/ViagoraDelegado João José, o JJ, coordenador da DeccortecDelegado João José, o JJ, coordenador da Deccortec

Segundo o delegado "JJ" o assunto das colaborações prêmiadas não podem ser expostos, estão sob segredo de justiça. 

A operação teve como alvo o combate de uma organização criminosa instalada em Campo Maior que sonegava impostos e desviava dinheiro do Fisco.Os empresários Mirtdams Júnior, Willams, João Canuto Neto eram os líderes do esquema, a mãe, Vera Lúcia Leite, é “responsável” pela maior devedora do fisco estadual, o “Cerealista Melo”. O contador Francisco Nilton Barros era o operador do esquema.

No momento, as outras seis pessoas envolvidas no esquema fraudulento continuam presas preventivamente.