Política

Vereador Neto do Angelim pede a reativação do Ronda Cidadão

Segundo ele, a violência aumentou depois da desativação do programa.
GABRIEL SOARES
20/09/2017 09h55 - atualizado

O presidente da Comissão de Segurança Pública da Câmara Municipal de Teresina, vereador Neto do Angelim, apresentou um requerimento na Casa Legislativa solicitando reimplantação do Batalhão de Policiamento Comunitário ‘Ronda Cidadão’ em Teresina. Segundo ele, houve aumento da volência após o fim do programa.

O requerimento, foi realizado juntamente com os parlamentares R. Silva, Teresinha Medeiros, Valdemir Virgino, Pedro Fernandes e Nilson Cavalcante e foi enviado à Policia Militar do Piauí.

O parlamentar destacou que o policiamento comunitário deu certo, principalmente por ser ação preventiva contra o crime, não realizando somente ao atendimento de ocorrências. “A ideia é que o governo utilize os policiais para atuação mais próxima à população”, pontuou.

  • Foto: Divulgação/Câmara Municipal de TeresinaNeto do Angelim pede a volta do Ronda Cidadão.Neto do Angelim pede a volta do Ronda Cidadão.

O vereador afirmou que a ação poderia ser executada através da compra de folgas dos agentes policiais, para garantir mais renda e a dedicação exclusiva à corporação. “Entendemos o momento financeiro pelo qual passa o Estado, mas sabemos que é necessário investir em segurança pública para reverter a realidade de violência e criminalidade em que vivemos”, afirmou o vereador.

Neto do Angelim lembrou que o Ronda Cidadão gerou boas iniciativas na época de funcionamento, como o programa Pelotão Mirim. “Além disso, os índices de criminalidade aumentaram com a extinção do Ronda Cidadão. Precisamos retornar com essa modelo de policiamento”, concluiu o parlamentar.

Criado em 2010, o Ronda Cidadão era um programa de policiamento comunitário, com atuação preventiva, mais próxima da comunidade, com a ação integral e complementar as outras modalidades de policiamento na capital. A iniciativa foi desativada em 1º de maio de 2015.

Mais conteúdo sobre: