Piauí

Vicente Sobrinho é condenado a devolver R$ 690 mil

O juiz Aderson Antônio Brito Nogueira determinou ainda a suspensão dos direitos políticos do ex-gestor por cinco anos.
RAYANE TRAJANO
27/04/2017 20h27 - atualizado

O juiz Aderson Antônio Brito Nogueira, da 1ª Vara dos Feitos da Fazenda Pública de Teresina, condenou o ex-presidente da Fundação dos Esportes do Piauí (Fundespi), Vicente Sobrinho, em ação civil pública de improbidade administrativa. A decisão é do dia 20 de abril.

O Ministério Público denunciou que houve falta de transparência nas contas apresentadas, existência de vários servidores contratados irregularmente para diversos cargos durante sua gestão. Além da manutenção de prestadores de serviço em municípios que não possuíam estádios de futebol ou grandes centros esportivos e pagamento de vantagens indevidas.    

  • Foto: Facebook/Eduardo CarvalhoVicente SobrinhoVicente Sobrinho

                                                                                                             

Narra no processo pagamentos a servidores públicos contratados sem concurso e sem a comprovação da urgência na contratação, gerando uma despesa de R$ 70. 029,40 (setenta mil, vinte e nove reais e quarenta centavos); além de pagamentos indiscriminados de gratificações por condição especial de trabalho a 73 servidores, totalizando um gasto de R$ 610.442,00 (seiscentos e dez mil, quatrocentos e quarenta e dois reais).

De acordo com a decisão, Vicente Sobrinho terá os direitos políticos suspensos por cinco anos; fica proibido de contratar com o Poder Público ou receber benefícios direta ou indiretamente, pelo mesmo prazo. Além disso, deve pagar ao Estado o correspondente a 20 vezes o valor do último subsídio e ressarcir o valor de R$ 690.544,84 (seiscentos e noventa mil, quinhentos e quarenta e quatro reais e oitenta e quatro centavos), corrigidos monetariamente desde o ajuizamento da ação.

Vicente Sobrinho deixou o comandando da Fundespi em março deste ano. A fundação agora é presidida por Paulo Martins, ex-prefeito de Campo Maior.

Outro lado

O Viagora tentou contato com Vicente Sobrinho, mas não conseguiu localizá-lo para comentar o caso. O espaço está aberto para futuros esclarecimentos sobre o caso.