Piauí

Wellington descarta reajuste salarial para agentes penitenciários

A previsão é que o Estado feche o primeiro quadrimestre deste ano acima do limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal.
RAYANE TRAJANO
22/09/2017 14h30 - atualizado

Desde o dia 11 de setembro osagentes penitenciários do Piauí estão em greve. A categoria pede aumento salarial e maior aparelhamento nas unidade penais do estado. Para o governador Wellington Dias é impossível conceder reajustes a qualquer categoria, devido ao limite de gastos imposto pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

“O Piauí vem fazendo a sua parte que é tentando de todas as formas evitar que a crise caia diretamente sobre o servidor. Temos feito economia nos gastos, aumentamos a arrecadação, fazendo investimentos através das operações de crédito para não deixar a economia parar. Mas a crise é nacional e muda a cada momento”, afirmou o governador Wellington Dias.

  • Foto: CCOMWellington DiasWellington Dias

A previsão é que o Estado feche o primeiro quadrimestre deste ano acima do limite prudencial com gastos de pessoal, que é de 46% da Receita Líquida. Assim, o governo estaria impossibilitado de realizar reajustes, por exemplo.

“Em curto prazo não temos como atender novos reajustes, não só pela questão financeira, mas também pela questão contábil. Estamos fechando o relatório do quadrimestre e provavelmente o limite prudencial será ultrapassado e, portanto, por uma questão legal, nenhum reajuste ou vantagem adicional aos servidores poder concedida nesse atual momento”, explicou o secretário de Administração, Franzé Lima.

Mais conteúdo sobre: