Coronavírus no Piauí

"A única alternativa é o isolamento", diz Firmino sobre Covid-19

Na avaliação de Firmino, não são as medidas que provocam a crise na economia, e sim a propagação do novo coronavírus, que impede as pessoas de irem às compras.
27/03/2020 15h10 - atualizado

Na manhã dessa sexta-feira (27), o prefeito de Teresina, Firmino Filho, realizou uma transmissão ao vivo nas redes sociais, na qual comentou sobre a situação do novo coronavírus na cidade e disse que a única alternativa no momento é o isolamento social.

Durante a transmissão, o prefeito falou que se nada for feito par evitar a propagação do vírus na cidade, não terão leitos suficientes nos hospitais para a população que necessitar de internação.

“Nós vamos ter uma rapidez de propagação, 60% da população vai estar contaminada. Se nós não fizermos nada, teremos 6 mil pessoas morrendo. Imagine quantas pessoas vão chegar nos hospitais. Isso é muito sério, estamos falando da vida de pessoas. A única alternativa é o isolamento social”, disse Firmino.

  • Foto: Kelvyn Coutinho/ViagoraPrefeito Firmino Filho (PSDB)Prefeito Firmino Filho (PSDB).

Firmino relata que a prefeitura está buscando formas de ampliar os leitos para possíveis atendimentos na capital, como a construção de hospitais de campanha no antigo prédio do Hiper Bompreço e na quadra de badminton da UFPI. O prefeito ressalta que a estratégia agora é diminuir a velocidade de contaminação da doença em Teresina.

“Qual a estratégia? Reduzir a velocidade de propagação do vírus para que a quantidade de casos seja compatível com a nossa capacidade de atendimento. Nós estamos buscando aumentar a capacidade da nossa demanda, mas se a propagação for rápida demais, não vai ter hospital de campanha que consiga dar assistência mínima”, comenta o prefeito.

Economia

Sobre a liberação e reabertura do comércio, o prefeito se mostra a favor de que as medidas restritivas continuem na cidade. Na avalição de Firmino, não são as medidas que provocam a crise na economia, e sim o vírus, que impede as pessoas de irem às ruas.

“Por que que a gente não libera do isolamento, acaba com as medidas restritivas? O problema econômico não é causado pelas medidas, é pelo vírus, e se o vírus circular as pessoas não vão circular por medo. Qual o cliente que vai ao shopping, qual o trabalhador que vai se arriscar a entrar em um chão de fábrica sabendo que se ele for vai estar arriscando a própria vida?”, declarou.

Firmino ressalta que as medidas são de grande importância nesse momento, e que “mesmo com as possíveis consequências na economia, as medidas são para preservar vidas”.

“Nós temos uma crise sanitária que vai necessariamente gerar uma crise econômica. Por dois caminhos: se nós tivermos uma crise econômica feita pelas medias restritivas, nós vamos estar poupando vidas. Agora, se nós tivermos a crise sanitária gerando crise econômica e tirando as medidas, nós vamos ter a crise econômica junto com um monte de mortes”, comenta o prefeito Firmino.

Ainda segundo o gestor, a prefeitura ainda não definiu qual o próximo passo a ser dado, por “estamos caminhando na escuridão”, já que segundo ele, não se sabe como está a circulação do vírus na capital e no estado. Firmino também disse que a prefeitura irá fazer a distribuição de cestas básicas para as famílias de estudantes da rede municipal de ensino.

Mais conteúdo sobre:

Mais na Web