Piauí

Acusado de matar Lorrany Thalya é condenado a 20 anos de prisão

O réu Antuniel Alves de Sousa, acusado de matar Lorrany Thalya com 14 facadas, foi condenado pelo Tribunal Popular do Júri.
18/11/2020 09h43 - atualizado

Em julgamento realizado nessa terça-feira, 17 de novembro, o Tribunal Popular do Júri condenou o réu Antuniel Alves de Sousa a 20 anos de prisão em regime fechado pelo crime de feminicídio.

Antuniel foi acusado de assassinar a companheira, Lorrany Thalya dos Santos Costa, de 22 anos, a facadas em um apartamento no Residencial Torquato Neto, zona Sul de Teresina, em maio de 2019.

“As agressões do réu em relação à vítima, por ciúmes, eram frequentes, e ela estava pretendendo se separar dele. [...] Ele atraiu a vítima até o quarto do casal, onde ele tinha colocado duas facas. A vítima, sem desconfiar de nada, entrou no quarto, ele trancou a porta por dentro e utilizou as facas para dar 14 facadas na vítima, ocasionando o óbito”, relatou o promotor de Justiça João Malato Neto, que atuou no caso.

O promotor afirmou ainda que a tese apresentada pelo Ministério Público foi aceita integralmente e o réu condenado a 20 anos de reclusão.

“A tese do Ministério Público era de homicídio triplamente qualificado, pela motivação fútil, emprego de meio cruel, e a qualificadora do feminicídio. O conselho de sentença acatou na íntegra a tese ministerial, afastou a tese defensiva de desclassificação por homicídio privilegiado, e o juiz presidente do Júri posteriormente fixou a sentença em 20 anos de prisão em regime fechado e negou ao réu o direito de recorrer em liberdade, ou seja, ele saiu direto para cumprir a sua pena na penitenciária”, comentou o promotor.

Mais na Web