Piauí

Acusado de matar professora em Campo Maior é condenado a 31 anos de prisão

Os crimes ocorreram na manhã do dia 22 de outubro de 2014, nas proximidades da localidade Campinas, zona rural do município.
11/06/2021 08h13 - atualizado

O promotor de Justiça Luciano Lopes Nogueira Ramos representou o Ministério Público do Estado do Piauí em sessão do Tribunal do Júri realizada na quarta-feira (09), no município de Campo Maior, onde o réu Francisco de Assis Vasconcelos Campos foi julgado pelos crimes de homicídio consumado contra a professora Adriana Tavares do Vale e de homicídio tentado contra a também professora Maria das Dores Campos.

Os crimes ocorreram na manhã do dia 22 de outubro de 2014, nas proximidades da localidade Campinas, zona rural de Campo Maior.

De acordo com a denúncia, as professoras haviam saído da escola em que lecionavam e se deslocavam de motocicleta. No trajeto, foram seguidas pelo acusado, que conseguiu forçá-las a deixar o veículo. Ele atentou contra a vida de Maria das Dores, sua ex-esposa, com repetidos golpes de tesoura. Já a professora Adriana, que o réu sequer conhecia, foi morta a pedradas e pauladas.

O Conselho de Sentença reconheceu a caracterização das qualificadoras propostas pelo Ministério Público: para o homicídio consumado, emprego de meio cruel e perpetração como recurso para facilitar a execução de outro crime; para o homicídio tentado, motivo torpe e emprego de meio cruel.

O juiz de Direito Múccio Miguel Meira fixou a pena em 18 anos e nove meses de reclusão para o primeiro crime, e em 12 anos, cinco meses e dez dias de reclusão para o segundo, alcançando a soma das penas 31 anos, dois meses e dez dias.

Com informações do MPPI.

Mais na Web