Polícia

Acusados de matar PM do Piauí são condenados a 52 anos de prisão

O juiz Francisco Soares Reis Júnior, da 2ª Vara Criminal de Timon, condenou Wanderson Soares dos Santos e Anderson Pereira de Moura Fé.
06/08/2021 14h33 - atualizado

O juiz Francisco Soares Reis Júnior, da 2ª Vara Criminal de Timon, condenou a mais de 52 anos de prisão os envolvidos no assassinato do sargento da Polícia Militar do Piauí, Francisco de Assis da Soledade, e de sua esposa Maria Antônia Vilar da Soledade, durante assalto em setembro de 2020.

Conforme a decisão, os criminosos foram condenados a 52 anos, 07 meses e 20 dias de reclusão, cada um, pelo crime de latrocínio em regime fechado. Ainda foi negado aos dois o direito de recorrer da sentença em liberdade.

  • Foto: Divulgação, Francisco de Assis da Soledade, Francisco de Assis da Soledade

De acordo com o Ministério Público do Estado do Maranhão (MPPI), os acusados, Wanderson Soares dos Santos, conhecido por “Pé de pato” e Anderson Pereira de Moura Fé, vulgo “Andinho” no dia do latrocínio roubaram a motocicleta, celular e carteira de um homem identificado por Anderson Matheus Santos de Oliveira, quando ele estava chegando em sua casa, no bairro Parque Piauí, em Timon.

Algumas horas depois, segundo o MP, os acusados realizaram o assalto ao sargento Francisco de Assis Soledade e sua esposa Maria Antônia Vilar da Soledade, que estavam na porta de casa, próximos a um carro de cor vermelha. O policial não entregou os bens e Maria Antônia, bateu em Anderson com uma bengala, para se defender.

Segundo o MP, Francisco de Assis puxou uma arma de fogo e efetuou um disparo contra um dos acusados, que revidou e disparou pelo menos quatro vezes contra o casal, que morreu ainda no local. Os criminosos levaram a arma do policial, com 04 munições calibre 38 intactas.

A polícia informou que ambos foram presos no mesmo dia do crime, com Wanderson foi encontrada a motocicleta roubada e utilizada no latrocínio e com Anderson, a arma da vítima e um revólver calibre 38 Taurus.

Mais na Web