Piauí

Aluísio Sampaio quer ampliar em 50% a rede de esgoto em Teresina

A capital piauiense conta com apenas 35% da cobertura na rede de esgoto, o que é distante do ideal.
26/02/2021 07h41 - atualizado

A Câmara Municipal de Teresina tratou, nessa quarta-feira (24), sobre a futura presidência da Agência Municipal de Regulação de Serviços Públicos de Saneamento (Arsete).

O candidato, indicado pelo prefeito Dr. Pessoa, o advogado Marcio Alan Cavalcante, esteve na Casa para responder aos questionamentos e dúvidas de vereadores sobre sua gestão à frente do órgão regulador.

O advogado foi sabatinado por alguns vereadores, mas por falta de quórum, seu nome ainda não foi aprovado em plenário para ocupar o cargo no Executivo municipal. A votação deverá ocorrer na próxima quarta-feira, 3 de março.

Alguns vereadores aproveitaram a oportunidade para tratar de temas pertinentes ao tratamento de esgoto na capital com o indicado. O vereador Aluísio Sampaio (Progressistas) defendeu uma efetiva ampliação da cobertura da rede em Teresina.

  • Foto: AscomVereador Aluísio Sampaio.Vereador Aluísio Sampaio.

A cidade de Teresina conta com apenas 35% de cobertura na rede de esgoto, porcentagem ainda distante da ideal na capital piauiense.

Segundo o vereador Aluísio, a preocupação com a rede de esgoto é o cumprimento de 100% da meta. O parlamentar disse que tem a expectativa de que nos próximos dois anos seja atingido 50% de esgoto.

“Nós temos 35% de rede de esgoto e a nossa preocupação maior é o cumprimento dessa meta de 100%. Temos uma expectativa que nos próximos dois anos seja atingido 50% de esgoto e gostaríamos do compromisso da nova gestão no cumprimento dessas metas”, disse.

Sampaio comentou ainda sobre os desafios provocados pela pandemia da Covid-19 e citou regiões de destaque na capital piauiense, que necessitam de atenção maior no tratamento desses serviços.

“Nós temos um desfio muito grande por conta dessa pandemia, muitas famílias tiverem seus empreendimentos e vendas prejudicados e também houve aumento de tarifas que devem ser discutidas, provavelmente, pelos custos que estão aumentando em vários segmentos”, comentou.

O parlamentar acredita que a zona Sul precise de muita atenção, pois é a região que mais sofre com a rede de esgoto e também na estação de tratamento de água.

“Quanto aos incentivos e avanços, eu penso que a região da Zona Sul de Teresina precise bastante de atenção, pois hoje tem o maior desafio com relação a esse problema, não somente referente a rede, mas a estação de tratamento de água e esgoto”, explicou.

Mais na Web