Piauí

Após paralisação, Setut diz que tem enfrentado problemas no setor

De acordo com o Setut, a queda na arrecadação provocada pela redução no número de passageiros que utilizam o transporte público tem ocasionado problemas no setor.
19/05/2021 17h09 - atualizado

Após uma nova paralisação dos motorista e cobradores de ônibus na manhã desta quarta-feira (19) na zona Sudeste de Teresina por atraso no pagamento de salários, o Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (Setut) se manifestou sobre o assunto e informou que tem enfrentado problemas no setor.

De acordo com o Setut, a queda na arrecadação provocada pela redução no número de passageiros que utilizam o transporte público tem ocasionado problemas no setor, e informa que está em busca de uma solução para controlar a crise no sistema de transporte público da capital.

  • Foto: Luís Marcos/ ViagoraSETUTSetut

“O Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (SETUT) esclarece que tem enfrentado problemas no setor, como a queda na arrecadação de recursos e redução de passageiros transportados. [...] O Setut informa ainda que está em busca de soluções efetivas para o controle de crise no sistema e que depende de repasses financeiros”, diz um trecho da nota.

Os trabalhadores da empresa Emtracol paralisaram as atividades nesta manhã alegando que estão desde o mês de janeiro sem receber os pagamentos, mesmo após o acordo firmado entre o Sindicato dos Trabalhadores Em Empresas de Transportes Rodoviários do Piauí (Sintetro) e o Tribunal Regional do Trabalho (TRT).

Confira a nota completa do Setut:

“O Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (SETUT) esclarece que tem enfrentado problemas no setor, como a queda na arrecadação de recursos e redução de passageiros transportados. As dificuldades no sistema atualmente estão aumentando e diante disso, os seis carros da empresa Emtracol, que atende a Zona Sudeste foram impedidos hoje pelo movimento grevista de saírem das garagens.

A entidade reitera que a frota das demais empresas continuam em operação. O Setut informa ainda que está em busca de soluções efetivas para o controle de crise no sistema e que depende de repasses financeiros, vigentes em contrato, da Prefeitura de Teresina, para evitar um colapso no setor”.

Mais conteúdo sobre:

Mais na Web