Piauí

Após prisão, Quirino Avelino diz que “provará sua inocência”

O prefeito de Itaueira é apontado pelo GAECO como suspeito de liderar uma organização criminosa que atuava para fraudar licitações e desviar dinheiro público.
28/09/2020 14h40 - atualizado

O prefeito de Itaueira, Quirino Avelino, afastado do cargo por decisão judicial, divulgou nota de esclarecimento sobre a sua prisão, ocorrida no último sábado (26), afirmando que se apresentou voluntariamente à Justiça, se encontra detido em seu domicílio e irá colaborar com as investigações.

Quirino Avelino estava foragido desde 22 de setembro, quando foi deflagrada uma nova fase da Operação Perpetuatio. Investigações do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) apontaram o gestor como suspeito de liderar uma organização criminosa que atuava para fraudar licitações e desviar dinheiro público.

  • Foto: GP1Prefeito de Itaueira, Quirino Avelino.Prefeito de Itaueira, Quirino Avelino.

A nota divulgada pela assessoria de comunicação do prefeito afirma que ele vai demonstrar sua inocência, “uma vez que tem plena consciência que não praticou nenhum ato atentatório aos interesses do município, o que certamente comprovará em sua defesa”.

Confira a nota na íntegra:

Devido às condições de saúde, por sofrer de problemas cardiológicos e passar por um tratamento contra o câncer, o prefeito Quirino Avelino teve agravamento no seu quadro de saúde, tendo sido internado por 4 dias.

Cumprindo determinação judicial, o Prefeito se apresentou voluntariamente à Justiça, e também se encontra afastado do cargo, considerando oportuno que terá mais tempo para cuidar de sua saúde e mais importante, demonstrar sua inocência, uma vez que tem plena consciência que não praticou nenhum ato atentatório aos interesses do Município, o que certamente comprovará em sua defesa.

Neste momento encontra-se detido em seu domicílio, sereno, com o firme propósito de colaborar com as investigações e atender a todas as determinações judiciais, certo de que tudo será devidamente esclarecido e sua inocência devidamente comprovada, ciente de que não praticou nenhum ato que possa resultar em uma condenação.

Mais na Web