Piauí

Após rebelião, Ministério Público faz vistoria na Major César

A equipe de vistoria encontrou danos materiais, pontos de incêndio e ouviu reclamações dos presos, assim como, as versões existentes sobre os motivos que teriam ocasionado o motim.
04/07/2019 09h55 - atualizado

O promotor de Justiça Paulo Rubens Parente Rebouças, titular da 2ª Promotoria de Altos, esteve na Colônia Agrícola Penal Major César de Oliveira, nessa quarta-feira (3), para vistoriar o local. Nessa terça-feira(2), presos realizaram motimna unidade penal, localizada na BR 343, no município.

De acordo com o Ministério Público do Piauí, a equipe de vistoria encontrou danos materiais, pontos de incêndio e ouviu reclamações dos presos, assim como, as versões existentes sobre os motivos que teriam ocasionado a rebelião no local. "Ouvimos versões discrepantes a respeito do motivo que teria deflagrado o motim.

  • Foto: Divulgação/MPPIVistoria do Ministério Público na Major CésarVistoria do Ministério Público na Major César

Segundo o promotor, foi dito que um disparo de arma de fogo, que teria sido efetuado acidentalmente por um dos agentes penitenciários, teria sido o motivo. Disseram ainda que a superlotação também poderia ter ocasionado o movimento. " Iremos aprofundar a coleta de informações para averiguar os motivos pelos quais aconteceu esse fato", pontua Paulo Rubens.

O orgão ministerial informou que além da superlotação, as condições estruturais precárias e o pequeno número de agentes penitenciários teriam favorecido o movimento. Informalmente, foi apurado que cerca de 100 presos fugiram da Colônia. Desse total, até ontem, 20 já haviam se apresentado à polícia.

O Ministério Público também instaurou procedimento investigatório sobre o caso.

Mais na Web