Piauí

Após recusar acordo, motoristas de ônibus continuam greve em Teresina

De acordo com o vice-presidente do Sintetro, a categoria oficializou a contraproposta e pede a manutenção dos termos da convecção anterior, garantindo os salários e os benefícios.
01/07/2020 18h30 - atualizado

Nesta quarta-feira (1º) após reunião, o Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Rodoviários no Estado do Piauí (Sintetro) e empresários não entraram em acordo e a categoria decidiu manter a greve dos motoristas e cobradores de ônibus de Teresina.

Por meio de um vídeo publicado nas redes sociais, o vice-presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Rodoviários (Sintetro-PI), Ajuri Dias, disse que a categoria não abre mãos dos benefícios como plano de saúde e ticket de alimentação.

No vídeo, o vice-presidente do Sintetro explica que na manhã de hoje a categoria esteve na sede do Ministério Público do Trabalho (MPT) para dar uma resposta à proposta feita pelo procurador João Batista Machado para o fim da greve no transporte público em Teresina, que propôs suspender a greve e manter os salários, mas sem os planos de saúde e tickets de alimentação por mais dois meses.

“Tivemos agora pela manhã no Ministério público dando a resposta em relação à proposta que o Dr. Machado realizou para os dois sindicatos [...] A gente avaliou a proposta do Dr. Machado, e entendemos que nesse momento a categoria não suporta ficar sem seus benefícios, tanto plano de saúde como a questão do ticket, porque essa proposta não tem nenhuma garantia de que esses benefícios retornam novamente, e infelizmente a gente não pode abrir mão do plano de saúde. Nós sabemos o momento que nós vivemos hoje de dificuldade em relação à questão dos atendimentos”, explica o vice-presidente do Sintetro.

Segundo Ajuri Dias, na ocasião, a categoria oficializou a contraproposta, e pede a manutenção dos termos da convecção anterior, garantindo que sejam pagos os salários e os benefícios, ressaltando que mesmo estando com alguns serviços do plano de saúde suspensos, os trabalhadores não abrem mão desse benefício.  

“A gente formalizou a nossa contraproposta, que é de manutenção dos termos da convenção coletiva anterior, garantindo os salários e os benefícios [...] Nós estamos com os planos suspensos em alguns procedimentos, mas nós não abrimos mão do plano de saúde e do ticket de alimentação”, disse o representante do Sintetro.

Confira o vídeo do Sintetro: 

Ajuri Dias - Vice Presidente do SINTETRO: Destaca sobre a reunião com MPT-PI e as propostas do patronal para os...

Publicado por SintetroPi Rodoviários em Quarta-feira, 1 de julho de 2020

Mais na Web