Piauí

Audiência discute greve dos motoristas de ônibus de Teresina

A greve de ônibus em Teresina já dura 23 dias, sem previsão de retorno, apenas 45 veículos estão circulando em toda a cidade.
04/03/2021 08h22 - atualizado

Nessa quarta-feira (03), foi realizada uma audiência pública que envolveu o Ministério Público, a Superintendência Regional do Trabalho, para tratar sobre a greve do transporte público de Teresina, que não teve êxito.

A greve de ônibus em Teresina já dura 23 dias e ainda não tem previsão de retorno. Os usuários que precisam do transporte público chegam a passar duas horas ou mais na espera, em vista que apenas 45 veículos estão circulando em toda a cidade.

O representante do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transporte Rodoviários (Sintetro), Francisco das Chagas, disse a TV Cidade Verde, que na reunião desta quarta, os trabalhadores do transporte ouviram dos empresários que suspendessem as negociações por mais 180 dias.

“Infelizmente o que ouvimos dos empresários foi o pedido para que suspendessem as negociações por mais 180 dias. É uma situação totalmente lamentável para nós trabalhadores, porque já estamos passando necessidades financeiras, sem salário desde dezembro, desde março de 2020 estamos sem plano de saúde”, disse Francisco.

Francisco disse ainda que os trabalhadores se sentem tratados de uma forma desumana, e que os empresários não estão sensíveis a eles e também aos usuários.

“Achamos uma forma desumana que os empresários estão cometendo com os trabalhadores, mas infelizmente eles não estão sensíveis a situação do trabalhador e muito menos a do usuário”, ressaltou.

Ainda segundo o representante, sem um acordo de salário, ticket, plano de saúde e a assinatura da condução coletiva da categoria rodoviária, que são suas reivindicações, não haverá transporte público para Teresina.

“Com certeza, sem salário, sem ticket, sem plano e sem a assinatura da condução coletiva da categoria rodoviária, não vai ter transporte”, afirmou.

Mais na Web