Polícia

Aumento de assaltos deixa moradores apavorados no Cerâmica Cil

A Polícia Militar do Estado do Piauí informou que nos últimos 07 (sete) dias foram registrados somente 03 (três) ocorrências na região.
13/02/2020 16h25 - atualizado

Moradores reclamam da falta de segurança no Cerâmica Cil

Os moradores do povoado Cerâmica Cil, localizado na zona Rural de Teresina, estão aterrorizados com a onda de furtos e assaltos que vem ocorrendo na região. Populares relatam que constantemente casas são invadidas e algumas famílias já contabilizam R$ 10 mil em prejuízos.

Ao  Viagora os moradores denunciaram a falta de policiamento. A moradora Rosângela Barbosa que trabalha como merendeira em uma escola do bairro relatou que no último domingo, 9 de fevereiro, sua residência foi alvo de bandidos que arrombaram a casa levando diversos eletrônicos e eletrodomésticos.

Ela conta que essa já é a terceira vez que sua casa é alvo de bandidos, nesta última ela saiu para participar de um evento carnavalesco, próximo de onde mora, e quando retornou encontrou a casa revirada e com sinais de arrombamento.

“Eu fui com minha família para um bloquinho de Carnaval por volta das 19h e quando retornamos, era umas 22h30, encontramos a casa arrombada. Eles entraram pelo telhado, tiveram acesso à cozinha e levaram tudo de valor, essa já é a terceira vez que minha casa é invadida e o meu prejuízo foi mais de R$ 10 mil”, conta.

O presidente da Associação de Moradores do bairro, Antônio Wilson, afirma que o policiamento no povoado não tem atendido à demanda e que para registrar um Boletim de Ocorrência as vítimas precisam se deslocar até Vila Irmã Dulce, onde fica o 17° Batalhão da Polícia Militar, localizado a 12 Km do Cerâmica Cil. Há um posto policial no bairro, mas nem sempre tem viaturas disponíveis para prestar suporte nas ocorrências.

“Nós já estivemos várias vezes nas polícias tanto Civil como Militar, eles vêm, prometem mais policiamento, mas com o passar dos dias se afastam e a criminalidade começa novamente. As vezes tem apenas uma viatura que cobre o policiamento do Cerâmica Cil e de Nazária e ainda para fazer o boletim a gente tem que se deslocar até a Vila Irmã Dulce ou Nazária”, disse.

Elizabete Alves, que mora há mais de 20 anos no povoado, conta que desde sempre presenciou situações como esta que vem ocorrendo, ela diz ter receio de sair de casa e que passou a vigiar sua residência e a da vizinha porque teme que os furtos ocorram novamente.

“Estamos precisando urgentemente de segurança no nosso bairro, a gente não pode nem sair de casa porque quando volta é com essa surpresa. Sou moradora daqui há 20 anos e sempre foi assim, eu mesma já tive minha casa arrombada, por isso estou sempre de olho no movimento, nas casas vizinhas porque estamos nas mãos dos bandidos a qualquer hora”, denuncia a moradora.

Próximo às residências furtadas nas últimas semanas fica um cemitério que está coberto por um matagal. De acordo com os moradores, os objetos furtados pelos criminosos são escondidos em meio ao matagal, depois eles voltam e dividem entre eles os bens roubados.

Outro lado

Viagora  procurou a Secretaria de Segurança Pública do Piauí para falar sobre o assunto. A assessoria encaminhou a reportagem para falar com a Polícia Militar sobre a reclamação dos moradores.

Procurada pela reportagem a assessoria da Polícia Militar emitiu uma nota sobre caso.

A Polícia Militar do Estado do Piauí informa que nos últimos 07 (sete) dias foram registrados somente 03 (três) ocorrências na região da Cerâmica Cil e que, nenhuma delas diz respeito a arrombamento, todavia o Comando do 17º Batalhão vai adotar medidas que intensifiquem o policiamento naquela área, e que os moradores devem ligar para o telefone 190 para o registro da ocorrência. 

Teresina, 13 de fevereiro de 2020.


ELZA Rodrigues Ferreira Ten Cel PM - Diretora de Comunicação Social da PMPI

Mais conteúdo sobre:

Mais na Web