Política

Bolsonaro diz que saída do PSL é uma “separação amigável”

Após deixar o PSL, nos próximos dias, o presidente já informou a criação de um novo partido, o Aliança pelo Brasil.
  • LUCAS KLISMAN
15/11/2019 15h50 - atualizado

Durante livetransmitida pelo Facebooknessa quinta-feira (14), o presidente Jair Bolsonaro confirmou que deve se desfiliar do PSL nos próximos dias. Segundo ele, a saída do partido é uma “separação amigável”.

O presidente ainda agradeceu aos correligionários que o apoiaram. "A única certeza é que me desfilio nos próximos dias do PSL. Agradeço todo apoio e consideração que tive até o momento no partido. É uma separação amigável. Boa sorte ao presidente do partido, aqueles que apoiaram o presidente do partido, bem como o líder antigo, vão ser felizes todo mundo, cada um segue seu destino. É como uma separação, infelizmente acontece na vida da gente", disse Bolsonaro.

  • Foto: Presidência da RepúblicaPresidente Jair Bolsonaro (PSL).Jair Bolsonaro.

Além da saída do PSL, o presidente já havia anunciado na última terça-feira (12) a criação de um novo partido, o Aliança pelo Brasil. Durante a live, o presidente também comentou sobre a crise política na Bolívia e falou sobre um Projeto de Lei para permitir auditoria nas eleições do Brasil.

"Vou potencializar isso para que nós venhamos a votar, no começo do ano que vem, se Deus quiser, um Projeto de Lei de modo que você possa auditar uma eleição. Se você votou no João, você vai ter certeza de que o voto foi para o João, se eu votei na Maria, o voto foi para a Maria. Não podemos ter essa suspeita de fraude como houve na Bolívia porque um problema pode acontecer de um lado ou de outro", afirmou.

Bolsonaro ainda destacou que o Brasil precisa de um sistema de votação mais confiável. "O ano que vem não dá mais, mas a partir de 2022, sim. É para evitar um problema como houve na Bolívia, que o presidente lá [Evo Morales], pelo que parece, segundo a OEA, abusou e fraudou o processo eleitoral”, finalizou.

Mais na Web