Saúde

COE Teresina alerta para aumento de casos da Covid-19, diz FMS

A Fundação Municipal de Saúde informou que houve um aumento de 34% no número de casos confirmados.
30/08/2021 10h47 - atualizado

A Fundação Municipal de Saúde divulgou nesta segunda-feira (30), que houve um aumento foi de 34% no número de casos confirmados de síndromes respiratórias graves (Covid-19), em Teresina, na 34ª Semana Epidemiológica (22 a 28 de agosto). O dado consta no painel do Centro de Operações Emergenciais (COE) da FMS que alerta para a necessidade das pessoas seguirem os protocolos para evitarem o aumento da contaminação pela doença.

Segundo a FMS, outros destaques relativos a esse período são o aumento na demanda por testes RT-PCR (+116%); o crescimento expressivo na positividade dos testes RT- PCR (de 11% para 23%); crescimento de 17% nas internações por Covid.

Outro índice de aumento foi sobre o valor do Rt pontual ao final que ultrapassou a unidade (Rt > 1,0). Esse índice aponta o aumento da transmissibilidade do vírus da Covid.
 
O infectologista e coordenador médico do COE da FMS Teresina, Walfrido Salmito, explica sobre a análise dessa última semana. “A gente se preocupa com esses dados de aumento porque vinha em decréscimo nas últimas doze semanas. Pode ser reflexo de várias situações, mas a gente acredita, especialmente, que seja relacionado ao comportamento das pessoas em não cumprirem rigorosamente os protocolos de segurança”, analisa.

  • Foto: Luís Marcos/ ViagoraMembro do COE, Walfrido SalmitoMembro do COE, Walfrido Salmito

Salmito ressalta a preocupação com os dados de crescimento. “Nosso alerta é de preocupação com o aumento de casos que pode gerar demanda por leitos e se repetir o que já vimos em fases anteriores da pandemia. Se chegarmos a índices maiores e chegarmos a 90% a 100% da nossa capacidade de atendimento não teremos outra opção que não seja retroceder nessas medidas atuais.

O infectologista orienta sobre os cuidados para evitar a contaminação. “Estamos tentando conscientizar sobre a necessidade de se manter os protocolos apesar da vacina em estágio avançados. Já vimos em alguns países que com vacinação avançada tiveram que retroceder. Pedimos que todos usem máscara facial, evitem aglomeração e façam a limpeza das mãos com frequência”, alerta.

Mais na Web