Geral

Confira dicas para não ser enganado na Black Friday

O diretor do DPDC, sugere que deve ser evitada aglomerações, por conta da pandemia da Covid-19.
  • VIVIANE ROCHA
25/11/2020 16h25 - atualizado

Os consumidores terão a oportunidade de encontrar produtos mais baratos e comerciantes, de esvaziarem seus estoques. É a Black Friday que está de volta nesta sexta-feira (27).

Muitas das ofertas, em vitrines de lojas ou telas de computadores parecem ser imperdíveis. De fato, algumas são, mas outras não. Para evitar uma decepção o consumidor deve adotar algumas precauções.

Este ano estamos em fase de pandemia por conta da Covid-19, e deve-se tomar alguns cuidados. É desnecessário que, para aproveitar a melhor das ofertas, as pessoas se aglomerem em lojas. Diante desta situação, vale ficar atento a algumas dicas de autoridades da área de defesa do consumidor.

O diretor do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC), Pedro Aurélio Queiroz, sugere que deve ser evitada aglomerações. E se for o caso, o melhor é fazer as compras online para evitar contato social.

O diretor alerta ainda que, se o deslocamento for inevitável, deve ser feito com todo cuidado, com uso de máscara, álcool gel, e com as mãos sempre sendo higienizadas. E que foi sugerido que fornecedores, especialmente neste ano de pandemia, estendam o período de liquidação.

Dados do Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor (Sindec), apontam que as demandas de consumo pela internet mais que dobraram de 2019 para 2020, tendo como principais assuntos vestuário, agências, operadoras de viagens e aparelho celular. Entre os principais problemas registrados estão a demora ou a não entrega do produto, cobrança indevida ou abusiva ou a falta de pagamento de indenização.

O Programa de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon), dá a dica de observar as políticas de troca e devolução especificadas no ato da compra. Segundo o órgão, o prazo legal para o cliente se arrepender da compra é de 7 dias a contar da assinatura do contrato ou do ato de recebimento do produto ou serviço, isso valendo para compras online.

Caso a compra seja feita em uma loja física e o produto não tenha apresentado defeito, é aconselhável que o consumidor verifique qual é a política da empresa, para o caso de troca de produtos.

Para que a promoção imperdível da black friday não se torne um pesadelo, o gerente de Segurança da Certisign, Oscar Zuccarelli, sugere as pessoas, uma atenção redobrada aos sites de compras. A principal dica é justamente a importância de se observar a aparência do site antes de inserir qualquer informação, para saber se a loja virtual é mesmo verdadeira.

O gerente alerta ainda que o consumidor na internet, deve evitar ao máximo clicar em links recebidos por email ou pelas redes sociais, especialmente aqueles que mostram ofertas que pareçam irrecusáveis.

O Procon reforça que está aberto para ajudar a todos consumidores, para casos como o não cumprimento de ofertas, publicidade enganosa, prática abusiva ou qualquer outro desrespeito ao direito do consumidor.

Com informações da Agência Brasil.

Mais na Web