Piauí

Coren-PI interdita Unidade de Saúde em Bom Princípio do Piauí

Segundo Coren-PI, foi constatado falta de enfermeiros durante o horário de funcionamento da instituição de saúde, falta de documentos gerenciais, entre outros problemas.
08/12/2020 17h31 - atualizado

O Conselho Regional de Enfermagem do Piauí (Coren-PI) decidiu pela interdição ética da Unidade Mista de Saúde Joana Moraes Souza, na cidade de Bom Princípio do Piauí, por falta de enfermeiros durante o horário de funcionamento da instituição de saúde, falta de documentos gerenciais, adequação do Procedimento Operacional Padrão (POP), dentre outros problemas identificados.

De acordo com conselheiro Flaviano Aragão, foi realizada uma inspeção nessa segunda-feira (07) na qual foi possível constatar os problemas na unidade, e explica que a inspeção ocorreu por determinação da presidente do Coren-PI, Dra. Amanda Barreto, para verificar se os problemas se já haviam sido constados foram resolvidos.

  • Foto: Divulgação/Coren-PICoren-PI interdita Unidade de Saúde em Bom Princípio do PiauíCoren-PI interdita Unidade de Saúde em Bom Princípio do Piauí

“A inspeção se deu após a determinação da presidente do Coren-PI Dra. Amanda Barreto, para que fosse feita uma inspeção In loco e averiguar se os problemas encontrados durante a fiscalização teriam sido sanados. Porém os problemas persistiram e foi decidida, em plenária, pela interdição ética dos serviços de enfermagem. Não há prazo determinado, ou seja, a duração da interdição depende da gestão da Unidade de saúde em se adequar às determinações feitas pelo Conselho”, explica.

Segundo o Coren-PI, a Lei Federal n. 7.498/86, determina que haja a presença do profissional enfermeiro (a) para a supervisão e gerenciamento dos serviços de Enfermagem.

Dentre as principais exigências do Conselho de Enfermagem do Piauí para adequação da Unidade está a contratação de enfermeiros, produção dos materiais e documentos gerenciais, o POP (Procedimento Operacional Padrão), sistematização da enfermagem, dentre outras adequações. Flaviano Aragão informa quando pode ocorrer o retorno de funcionamento da Unidade de Saúde.

“São vários problemas que foram encontrados, mas se as falhas forem sanadas rapidamente será feita a desinterdição. É importante ressaltar que isso mostra que a enfermagem precisa e deve ser valorizada. Por isso que o Coren-PI faz essa fiscalização e quando identifica as irregularidades cumpre o seu papel de proteger os profissionais e a população” enfatiza o conselheiro.

Mais na Web