Saúde

Covax enviará vacinas de AstraZeneca e Pfizer à América Latina

De acordo com a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), a Região precisa imunizar cerca de 500 milhões de pessoas
  • LAÍS VITÓRIA
01/02/2021 13h43 - atualizado

O mecanismo global de compartilhamento de vacinas (Covax) espera entregar 35,3 milhões de doses da vacina contra Covid-19 da AstraZeneca a países caribenhos e latino-americanos entre os meses de fevereiro e o final de junho, informou o escritório regional da Organização Mundial da Saúde (OMS).

De acordo com a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), a região das Américas precisa imunizar cerca de 500 milhões de pessoas para controlar a pandemia.

Ainda segundo a Opas, em alguns dias, a OMS finalizará sua análise da vacina da AstraZeneca para inclusão em uma lista de uso emergencial (EUL). "O número de doses e o cronograma de entregas ainda estão sujeitos à EUL e à capacidade produtiva", afirmou.

A Opas, acrescentou que os acordos de suprimento também têm que ser combinados com os produtores. Das 36 nações recebendo a vacina da AstraZeneca, disse a entidade, Bolívia, Colômbia, El Salvador e Peru também receberão um total de 377.910 doses da vacina da Pfizer e da BioNTech a partir de meados de fevereiro.

A aliança Gavi, o grupo que colidera a Covax com a OMS, disse na semana passada que almeja entregar 2,3 bilhões de vacinas em todo o mundo até o final de 2021, incluindo 1,8 bilhão de doses gratuitas a países de renda mais baixa.

Os 36 países caribenhos e latino-americanos que receberão a vacina da AstraZeneca vão de gigantes regionais, como Brasil e México, a ilhas pequenas, como Dominica e Montserrat. A Gavi deve publicar detalhes de suas alocações por país nesta segunda-feira (01).

Mais na Web