Saúde

Covid-19: Ministério da Saúde retira presos de lista de vacinação prioritária

Eduardo Pazuello, ministro da Saúde, afirmou, na terça-feira (8), que a vacina de Oxford deve começar a ser aplicada no Brasil no final de fevereiro.
09/12/2020 13h54 - atualizado

O Ministério da Saúde optou por atualizar a lista de grupos prioritários, para tomar a vacina contra a Covid-19 e, retirar dos presos o status de prioridade. Após divulgar um primeiro comunicado no dia 1° de dezembro em que incluía a população carcerária na lista.

As demais parcelas da população que já haviam sido elencadas seguem no cronograma.

Eduardo Pazuello, ministro da Saúde, afirmou, na terça-feira (8), que a vacina de Oxford deve começar a ser aplicada no Brasil no final de fevereiro. A declaração foi dada durante uma reunião com governadores. Segundo ele, a imunização novo coronavírus, desenvolvida pela Universidade de Oxford e pela farmacêutica AstraZeneca deve obter o registro da Anvisa no primeiro trimestre de 2021.

De acordo com o Ministério da Saúde, os primeiros a serem vacinados, serão os profissionais da área da saúde, idosos com mais de 75 anos ou a partir de 60 que morem em asilos e os indígenas. Depois, devem ser vacinados os idosos com idade entre 60 e 74 anos.

Em seguida, será a vez dos portadores de doenças crônicas (pressão alta, cardíacos e aqueles com diabetes). E, por fim, os prioritários se encerram com os trabalhadores da área de segurança, como policiais e funcionários do sistema prisional.

Mais na Web