Piauí

Covid-19: MP apura desativação de leitos no Hospital de Corrente

Conforme o MP, o objetivo da reunião foi para averiguar a desativação de leitos de estabilização no momento mais crítico da pandemia.
19/03/2021 18h15

Nessa quarta-feira (17), o Ministério Público do Piauí, por meio da 2ª Promotoria de Justiça de Corrente e do Centro de Apoio Operacional de Defesa da Saúde (CAODS), realizou uma inspeção virtual no Hospital Regional Dr. João Pacheco Cavalcante, em Corrente.

Conforme o MP, o objetivo da reunião foi para averiguar a desativação de leitos de estabilização no momento mais crítico da pandemia, analisar a estrutura física da unidade e a escala da equipe de profissionais que atendem a população local.

  • Foto: Divulgação/MPPIInspeção virtual no Hospital Regional de CorrenteInspeção virtual no Hospital Regional de Corrente

Participaram da reunião a coordenadora do Centro de Apoio Operacional de Defesa da Saúde (CAODS), Cláudia Seabra, e servidores do MPPI; médicos do MPPI Viviane Pompeo e Celso Pires; o diretor-geral da unidade, Daniel Sousa; a Secretaria Municipal de Saúde, os representantes do Conselho Regional de Enfermagem (COREN), Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (CREFITO) e do Conselho Regional de Medicina (CRM), conselheiros de saúde e vereadores.

Na oportunidade, a promotora de Justiça Gilvânia Viana, destacou a necessidade do Hospital de Corrente manter os leitos de estabilização em número suficiente para atender a demanda da comunidade.

“No dia dois de março, fomos surpreendidos com a notícia de que alguns equipamentos desses leitos de estabilização foram emprestados para outros Hospitais da rede. A SESAPI teria solicitado em caráter de empréstimo esses equipamentos desses três leitos de estabilização, isso me preocupou bastante porque estamos tendo um aumento de casos em todo Estado”, afirmou.

Conforme promotoria, durante a inspeção contatou-se que o Hospital de Corrente realocou equipamentos dos leitos de estabilização para Teresina. A Sesapi fez um ofício para o Diretor-geral da unidade, Daniel Sousa, que devido a necessidade de expandir leitos de UTI do hospital Getúlio Vargas, foi preciso fazer a realocação temporariamente para atender mais leitos de UTI.

O município aguarda a chegada de quarenta respiradores e quarenta monitores. Assim que chegarem, haverá a reposição da retirada que foi feita no Hospital de Corrente. Ainda durante a vistoria, foram apresentados os 4 leitos de estabilização, equipamentos: monitores, ventiladores, bomba de infusão e respiradores.

A Unidade possui ainda 16 leitos clínicos, totalizando 20 leitos, a ocupação está com um paciente em estabilização e dois pacientes em leitos clínicos. Outro problema discutido foi a questão da ambulância.

Foi relatado que eram duas, mas devido a um acidente, agora somente dispõe de uma para atender todo município, o que acaba utilizando erroneamente o SAMU que não cumpre esse papal de transferências para outros municípios. Ficou decidido que a Sesapi providenciará ambulância no prazo de trinta dias, além de equipamentos dos leitos de estabilização para repor os equipamentos que foram retirados, também no prazo de trinta dias.

O encaminhamento pela Sesapi para o Hospital de Corrente de cinco circuitos de reservas para os ventiladores, a autorização para o diretor do hospital de contratação imediata de dois fisioterapeutas e a realização de capacitação de profissionais de fisioterapia, mediante o contato da direção do Hospital com o Crefito para que seja viabilizada a capacitação.

Mais na Web