Piauí

Covid-19: Piauí chega a 132.718 casos confirmados e 2.695 mortes

Segundo a Sesapi, dos 623 casos confirmados da doença, 353 são mulheres e 270 homens, com idades que variam de um a 86 anos.
08/12/2020 19h23 - atualizado

Nas últimas 24 horas foram registrados, no Piauí, 623 casos confirmados e quatro óbitos  pela Covid-19, segundo os dados divulgados pela Secretaria de Estado da Saúde, na noite desta terça-feira (8).

Segundo a Sesapi, dos 623 casos confirmados da doença, 353 são mulheres e 270 homens, com idades que variam de um a 86 anos. 

A Sesapi informou que três homens e uma mulher não resistiram às complicações da Covid-19. Eles eram naturais de Corrente (51 anos), Parnaíba (59 anos) e Piripiri( 82 anos). A do sexo feminino  era da cidade de Castelo do Piauí  (69 anos). A vítima de 51 anos não  possuía comorbidades.

De acordo com a Sesapi, os casos confirmados no estado somam 132.718 distribuídos em todos os municípios piauienses. Já os óbitos pelo novo coronavírus chegam a 2.695 e foram registrados em 198 municípios. Até agora, morreram 1.576 homens e 1.119 mulheres.

Dos leitos existentes na rede de saúde do Piauí para atendimento à Covid-19, há 428 ocupados, sendo 268 leitos clínicos e 153 UTIs e sete em leitos de estabilização. As altas acumuladas somam 6.825 até o dia oito de dezembro.

A Sesapi estima que 129.595 pessoas já estão recuperadas ou seguem em acompanhamento (casos registradas nos últimos 14 dias) que não necessitaram de internação ou evoluíram para morte

Vacina

Nesta terça-feira (08), o governador Wellington Dias, que também é presidente do Consórcio Nordeste e coordenador do tema da vacina no Fórum Nacional de Governadores, participou de reunião ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, em Brasília, e defendeu que todos os estados brasileiros vacinem a população contra a Covid-19 ao mesmo tempo.

“Se São Paulo anunciou que vai iniciar a imunização a partir de 25 de janeiro, então o governo federal tem que garantir que outras unidades da Federação também tenham as mesmas condições”, comentou Wellington Dias.   

Durante a reunião, o governador solicitou ainda que o Ministério da Saúde, por meio da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), conceda uma licença especial para que os laboratórios que fabricam vacinas que já foram autorizadas pelas agências reguladoras de outros países, como a fabricante Pfizer, que já está sendo aplicada no Reino Unido e está prestes a ser autorizada pelos órgãos sanitários dos Estados Unidos.

Mais na Web