Coronavírus no Piauí

Covid-19: Sesapi prepara logística para aplicação de terceira dose

Segundo o secretário Florentino Neto, a Sesapi vem trabalhando para garantir a imunização de todos os piauienses e cumprindo todas as medidas estabelecidas no Plano Nacional de Imunização.
25/08/2021 15h00

Após anúncio do Ministério da Saúde de começar a aplicar a terceira dose da vacina contra a Covid-19 em idosos acima de 70 anos e pessoas imunossuprimidas, a partir do dia 15 de setembro, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) já está preparando a logística junto as regionais de saúde e municípios para a imunização desse público. 

Segundo o secretário Florentino Neto, a Sesapi vem trabalhando para garantir a imunização de todos os piauienses e cumprindo todas as medidas estabelecidas no Plano Nacional de Imunização.

  • Foto: Divulgação/SesapiTerceira doseTerceira dose

 “Nós temos todo o trabalho do Governo do Estado do Piauí por mais vacinas, estamos em tratativas finais para aquisição de vacinas do Butantan conforme o termo que assinamos este ano. 

Agora com esta possibilidade da terceira dose da vacina, aguardamos a consolidação desta informação, baseada em informações técnicas científicas. O Piauí está preparado e a medida em que for recebendo as vacinas vai iniciar esta terceira aplicação”, enfatiza o gestor. 

Segundo o Ministério da Saúde, o reforço vacinal será com a o imunizante da Pfizer e terá o intervalo da segunda dose deve de 28 dias para pessoas imunossuprimidas e pelo menos seis meses para idosos acima de 70 anos.

“A expectativa para o dia 15 de setembro é que todos os municípios já tenham concluído a vacinação, em primeira dose, de todo o público adulto (18 a 59 anos), e assim possa iniciar o reforço nesta população mais vulnerável”, explica a diretora de Vigilância em Saúde da Sesapi, Cristiane Moura Fé. 

Na primeira etapa de vacinação, com a aplicação de duas doses ou dose única, o Piauí imunizou 212.176 pessoas de 70 anos ou mais, ultrapassando a meta para estes públicos estabelecida pelo Ministério da Saúde. “Já as pessoas imunussuprimidas foram vacinadas no grupo de comorbidades, e as doenças que se enquadram como tal são estabelecidas pelo Plano Nacional de Imunização”, destaca a diretora.

Na nota técnica do ministério também foi comunicado que a partir de setembro, o intervalo entre as doses da Pfizer e AstraZeneca passará de 12 para 8 semanas para toda  população.

Mais na Web