Política

Covid-19: Wellington Dias celebra o envio de vacinas para o Brasil

Os Estados Unidos anunciou o envio de 6 milhões de doses de vacinas contra o novo coronavírus para o Brasil e países da América Latina.
04/06/2021 13h02 - atualizado

Os Estados Unidos enviará 6 milhões de doses de vacinas contra o novo coronavírus para o Brasil e países da América Latina. A divisão será realizada via Covax, iniciativa vinculada à Organização Mundial da Saúde para distribuição nos países em desenvolvimento.

De acordo com o presidente do Consórcio Nordeste e coordenador do Fórum de Governadores do Brasil para temática vacina, governador Wellington Dias, o anúncio do envio de vacinas é bom para o Brasil.

“Nos meses de abril e maio, tratamos com o presidente norte-americano Joe Biden, num documento enviado pelo Fórum de Governadores do Brasil juntamente com outras autoridades que entraram em campo”, ressaltou.

Conforme o governador, até o mês de maio a vacina produzida nos Estados Unidos seriam aplicadas nos americanos e a partir de junho, haveria possibilidade de liberação de cota extra para outros países.

“Pedimos, então, uma ajuda humanitária e estamos alegres em ver o Brasil sendo atendido com cerca de 6 milhões de doses”, conta, declarando que o Fórum de Governadores irá continuar na luta para que se obtenha a antecipação da entrega de vacinas da Pfizer, da Johnson.

Para Wellington Dias, a obtenção de 100 milhões de doses é de extrema importância para que o Brasil possa, até o mês de setembro, no patamar de país com baixo risco de contaminação, evitar assim, o isolamento do país.

“Estamos alegres com o contrato de antecipação tecnológica com a Fiocruz através da Astrazeneca, da mesma forma com a Butanvac e a possibilidade de ter a aprovação da Sputnik pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que já são 37 milhões de doses”, destacou.

Mais na Web