Piauí

Covid: HGV registra queda de 35% no número de internações em maio

Segundo os dados do Informe Epidemiológico correspondentes ao período de 1º de abril de 2020 a 31 de maio de 2021, o HGV já atendeu um total de 1.387 pacientes desde o início da pandemia.
09/06/2021 17h30 - atualizado

O Hospital Getúlio Vargas (HGV)  informou que área Covid-19 do apresentou uma redução de 35% das internações no mês de maio em relação ao mês anterior.

Segundo os dados são do Informe Epidemiológico correspondentes ao período de 1º de abril de 2020 a 31 de maio de 2021, o HGV já atendeu um total de 1.387 pacientes desde o início da pandemia. 

  • Foto: Divulgação/HGVGráficoGráfico

De acordo com o diretor-geral do hospital, apesar da redução no número de admissões, as medidas protetivas devem continuar. “A redução de atendimentos a pacientes com Covid-19 no HGV sinaliza a diminuição de casos, conforme aponta a situação epidemiológica nacional. Mas, as medidas de proteção devem ser mantidas, pois a doença não está controlada”, destaca o gestor.

Segundo o boletim, em maio foram admitidos 144 pacientes, 35% a menos que em abril, quando foram atendidos 222 pacientes. A média de idade dos pacientes internados em maio foi de 56 anos, menor que a média de idade de abril, que ficou em 62 anos.

O maior número de atendimentos ainda é na faixa etária acima de 60 anos, com 58% dos pacientes e a maioria, 58% do sexo masculino.

O informe mostra também que o maior número de pacientes admitidos são provenientes de cidades do interior do Estado com um percentual de 89,58% e apenas oito pacientes foram provenientes de hospitais da capital.

O presidente da Fundação Estatal Piauiense de Serviços Hospitalares (Fepiserh), órgão que administra o HGV, Ítalo Rodrigues, destaca atuação do hospital no tratamento da Covid-19.

“O HGV tornou-se referência no estado no tratamento da doença, com o maior número de leitos e qualidade no atendimento. Nossa equipe trabalhou de forma incansável e essa redução nos traz um alívio, porém, continuamos em alerta porque a pandemia ainda exige muitos cuidados”, afirma o presidente.

Mais na Web