Saúde

Covid: Wellington defende inclusão de governadores em comitê nacional

O governador do Piauí se reuniu com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, e outros governadores e discutiu sobre a inclusão dos gestores no comitê nacional de combate à Covid-19.
26/03/2021 18h00 - atualizado

Nesta sexta-feira, 26 de março, o governador do Piauí e presidente do Consórcio Nordeste, Wellington Dias (PT), se reuniu com o Comitê Gestor de Enfrentamento à Covid-19 virtualmente para tratar sobre pautas relativas à pandemia do novo coronavírus.

Participaram da reunião outros governadores do Brasil e o presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco (DEM). Dentre as pautas tratadas na reunião, foi abordada a criação de uma coordenação no âmbito nacional de combate à pandemia.

Wellington defendeu a participação dos governadores no Comitê de Coordenação Nacional para Enfretamento à Covid-19, criado pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, e publicado no Diário Oficial da União, na última quarta-feira (24), sem a presença de representantes dos estados. Para isso, serão enviados ofícios a Bolsonaro e aos presidentes do Senado e da Câmara dos Deputados.

  • Foto: Divulgação/Governo do PiauíO governador Wellington Dias se reuniu com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco.Wellington Dias em reunião com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, e outros governadores.

“O Fórum de Governadores insiste na necessidade da presença de representação dos estados e municípios no comitê. Não tem lógica, considerando que o Brasil é uma República Federativa e vivemos uma pandemia mundial, com efeitos em cada estado e cada município. Assim, estamos enviando os documentos solicitando a inclusão de representantes dos estados na coordenação nacional”, argumentou Wellington.

Segundo o chefe do Executivo piauiense, os governadores estão abertos ao diálogo e ao alinhamento das pautas para atuar de forma integrada na busca por vacinas e defender o que é prioridade atualmente no Brasil: saúde, social e economia.

“Tratamos sobre temas importantes como a pauta do Congresso Nacional, Orçamento, mais recursos para a saúde, as condições do financiamento da rede hospitalar, de dar conta dos insumos e o tema principal que é vacina, no qual propusemos uma agenda conjunta com o secretário da Organização das Nações Unidas (ONU) para que possamos ter a entrega de vacinas, a sensibilidade do mundo para ajudar o Brasil com mais vacinas e ainda as condições de ter a pauta federativa sendo colocada na prioridade do Congresso Nacional: o social, o econômico, tudo aquilo que é importante nesta fase que vivemos”, completou.

Mais na Web