Política

“Defendemos as mesmas bandeiras”, diz Rejane Dias sobre apoio a Rossi

A deputada federal comentou sobre o apoio da bancada do Partido dos Trabalhadores (PT) à candidatura de Baleia Rossi (MDB-SP) a presidente da Câmara dos Deputados.
13/01/2021 06h46 - atualizado

Nessa segunda-feira, 11 de janeiro, a deputada federal Rejane Dias (PT) participou de uma reunião da bancada federal piauiense com o prefeito de Teresina, Dr. Pessoa (MDB), para tratar sobre a destinação de emendas parlamentares para projetos e obras que serão realizadas na capital.

Na ocasião, Rejane falou com a imprensa sobre a eleição para presidente da Câmara dos Deputados, que acontecerá no retorno das atividades da Casa, em fevereiro.

A deputada afirmou que, após três reuniões e muita discussão, a bancada do Partido dos Trabalhadores (PT) decidiu por maioria apoiar a candidatura do deputado federal Baleia Rossi (MDB-SP) a presidente. Baleia Rossi é apoiado pelo atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

  • Foto: Luis Marcos/ViagoraDeputada Federal Rejane DiasDeputada Federal Rejane Dias (PT).

“A bancada do Partido dos Trabalhadores se reuniu três vezes. Muita discussão com relação ao apoio ao candidato Baleia Rossi. Lá, nós decidimos, por maioria, apoiá-lo, porque as bandeiras que ele defende nós também defendemos, que é a independência do Poder Legislativo, a autonomia, e aquilo que nós compreendemos que nesse momento é urgentíssimo para a população, que é a continuidade do Auxílio Emergencial, porque a pandemia ainda está aí, e também a vacina universal para todos”, comentou.

Questionada sobre como o partido estaria avaliando uma suposta reorganização na estrutura administrativa do Governo do Estado, a parlamentar afirmou que o governador Wellington Dias ainda não tratou do assunto com a bancada federal, mas que ele é livre para fazer as alterações que considerar necessárias para o Executivo.

“Enquanto bancada federal, não sei sobre a bancada estadual, mas o governador ainda não tratou sobre isso [conosco], porque isso está muito no âmbito do próprio Executivo. Cabe ao governador fazer as mexidas que ele achar necessário para a boa administração do estado do Piauí, mas ao mesmo tempo pensar politicamente na reorganização do time”, declarou.

Mais na Web