Piauí

Descarte irregular de lixo aumenta risco de dengue em Teresina

As zonas que mais tiveram lixo jogado em local proibido no mês de julho foram a sudeste (2,831 toneladas), a leste (2.751 toneladas) e a sul (2.719 toneladas), informou a prefeitura.
05/08/2021 10h30

A prefeitura informou que o descarte de lixo em local proibido aumentou em 2 mil toneladas, no intervalo de apenas um mês em Teresina.

Segundo a prefeitura, em junho, foram recolhidas 8,2 mil toneladas de lixo jogado em ruas, praças e demais vias públicas. Em julho, essa quantidade subiu para R$ 10,2 mil toneladas. Além do desperdício de recursos, a gestão alerta para o risco de crescimento dos casos de dengue, zika e chikungunya – doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti.

  • Foto: DivulgaçãoLixãoLixo em local inapropriado

“Quando alguém joga lixo em local inapropriado favorece o acúmulo de água parada, que é o ambiente propício para o mosquito Aedes aegypti. Nessa época do ano, com o fim das chuvas, são comuns os casos de dengue, zika e chikungunya, mas com o aumento do lixo nas ruas, é possível que enfrentemos um problema sério nesse sentido, com o alto crescimento de casos dessas doenças”, frisa Edmilson Ferreira, secretário de Desenvolvimento Urbano e Habitação.

O Coordenador de Limpeza Pública, Urias Gonzaga, explica que a Semduh e a Fundação Municipal de Saúde irão atuar juntas para combater a alta dos casos. “A FMS vai atuar na fiscalização das áreas e na orientação e conscientização da população, dentre outras atividades. Nós, da Semduh, vamos ampliar também a fiscalização e já estamos aplicando multas em quem é flagrado colocado lixo em local proibido. Além disso, estamos iniciando um novo mutirão de limpeza, para reduzir os riscos para a população”, disse.

As zonas que mais tiveram lixo jogado em local proibido no mês de julho foram a sudeste (2,831 toneladas), a leste (2.751 toneladas) e a sul (2.719 toneladas).

Já a zona norte contabilizou 1.013 toneladas e o Centro 941 toneladas. O impacto disso para os cofres da Prefeitura subiu de R$ 380 mil em junho para R$ 460 mil em julho, ou seja, R$ 80 mil de alta.

“Isso é um absurdo, é uma atitude predatória. Esse dinheiro seria melhor gasto em educação, saúde, obras para o crescimento de Teresina, mas estamos precisando gastar com limpeza de locais onde nem deveria haver lixo. A Semduh disponibiliza 56 Pontos de Recolhimento de Resíduos (PRR) espalhados pela cidade, a coleta domiciliar é feita dia sim e dia não e ainda assim existem pessoas que teimam em jogar o lixo onde não deve. Precisamos conscientizar a população dos prejuízos que isso causa”, enfatiza o secretário Edmilson Ferreira.

Conforme a prefeitura, somente de janeiro a junho, o Lixo Zero havia atendido 110 denúncias e lavrado 220 autos de infração. As multas para quem descarta lixo de forma irregular varia de R$ 369 a R$ 3.690, dependendo da frequência e da quantidade de material despejado.

O gestor faz um apelo para que a população também fiscalize o descarte irregular de lixo e denuncie a prática pelo número de whatsapp 86 9.9402-3074. A denúncia é anônima.

Mais conteúdo sobre:

Mais na Web