Política

Dr. Pessoa diz que indicação de Charlles Max para TRE é imoral

O advogado defende o prefeito Firmino Filho em algumas ações na Justiça Eleitoral e foi o mais votado na lista tríplice para juiz no Tribunal Regional Eleitoral do Piauí.
  • YURY PONTES
03/04/2017 20h24 - atualizado

No dia 30 de março o pleno do Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI) realizou a votação para composição da lista Tríplice encaminhada à Presidência da República para a escolha do novo juiz que tomará posse no Tribunal Regional Eleitoral do Piauí (TRE-PI).

Dentre os nomes, o mais votado foi o advogado de Firmino Filho (PSDB), Charlles Max. Atualmente o prefeito conta com cerca de 180 processos, entre arquivados e em tramitação no TRE-PI.

Mesmo o Tribunal de Justiça creditando confiança a Charlles Max, há quem discorde dessa posse. Dr. Pessoa, que já abriu 4 processos de impugnação da Chapa de Firmino para prefeitura de Teresina se pronunciou sobre a escolha feita pelo TJ-PI.

  • Foto: Ascom/AlepiDr. PessoaDr. Pessoa (PSD) diz que escolha de Charlles Max para compor lista tríplice para assumir o TRE-PI é imoral à democracia.

“Eu acho essa decisão uma excrecência à democracia. Como que até ontem, digamos, era secretário do Poder Executivo Municipal, e defendia, inclusive, nesses processos o Poder Executivo Municipal, e agora tá sendo protegido, blindado, indicado pelo próprio gestor municipal. Isso daí é coisa que eu vou discutir com meu advogado. Eu espero que o Poder Central não avalie uma atitude dessa natureza antidemocrática, anti-lei e principalmente imoral”, Destaca o deputado Dr. Pessoa (PSD).

O deputado ainda reclama da posse por não condizer com o atual momento político, visto que Firmino Filho (PSDB) tem processos no TRE-PI em tramitação, defendidos por Charlles Max.

“Como é que eu vou recorrer a um juiz eleitoral já influenciado pelo poder executivo, e repito que já até defendeu o poder executivo e agora vai estar lá votando na matéria. Por mais sabedoria, por mais perfeição que esse provável juiz eleitoral tenha, isso não condiz com o momento político”, finaliza o deputado.

Outro lado

Em entrevista ao Viagora, o advogado Charlles Max disse estranhar as afirmações, já que caso ocorra sua nomeação para ser um dos juízes do Tribunal Regional Eleitoral do Piauí, ele não pode apreciar matérias em que defendeu. "A legislação é muito clara. Se acontecer uma nomeação, o advogado não pode funcionar em processos e não pode apreciar matérias em que ele foi advogado. Como que eu vou posso julgar um processo que eu fui o advogado? Não existe isso", explicou.

Mais na Web