Polícia

“Dupla receberia 8 mil para levar carro de servidor”, diz Barêtta

Segundo o delegado Barêtta, a dupla que matou Francisco das Chagas Campelo e Silva, servidor do TJ-PI, foi contratada para roubar uma caminhonete por um grupo criminoso de Caxias.
04/09/2019 14h50 - atualizado

Na última quinta-feira, 28 de agosto, um servidor do Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI), identificado como Francisco das Chagas Campelo e Silva, foi morto durante uma tentativa de assalto ocorrida no bairro Tancredo Neves, na zona Sudeste de Teresina. De acordo com o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), os suspeitos de realizarem o crime teriam roubado a caminhonete da vítima sob encomenda de um grupo criminoso de roubo de veículo.

O delegado Francisco Costa, o Barêtta, coordenador do DHPP, falou em entrevista à TV Cidade Verde que as investigações realizadas apontam que os dois suspeitos, Vinícius Alves da Silva e Igor Araújo de Souza, teriam sido contratados para roubar uma caminhonete por um grupo criminoso de Caxias.

  • Foto: ViagoraDelegado Francisco Costa, o BarêttaDelegado Francisco Costa, o Barêtta.

“Eles teriam essa encomenda no valor de R$ 8 mil para entregar a caminhonete na cidade de Caxias. Eles são integrantes de uma quadrilha interestadual, inclusive de assaltantes de carros conhecidíssimos no Piauí. Nós estamos fazendo todo esse levantamento e vamos repassar para o delegado Everton, da Polinter”, disse o coordenador do DHPP.

O delegado Barêtta ainda informou que a perícia criminal encontrou dois tipos de projéteis no corpo da vítima, um de calibre 38 e outro de calibre 32.

“Foi retirado do corpo dois projéteis com calibres diferentes. Nós então solicitamos uma requisição de microcomparação balística. Foi constatado que um disparo foi feito com o revólver calibre 32 apreendido com um dos indivíduos e o segundo foi realizado com uma arma da própria vítima, de calibre 38”, revelou Barêtta.

Vinícius Alves da Silva foi preso poucas horas após o crime. Junto com ele foi apreendido o revólver calibre 32 utilizado no crime. Igor Araújo Sousa segue foragido e a polícia acredita que ele está em posse da arma que era de propriedade da vítima.

Mais na Web