Polícia

Empresária e servidor da Alepi são presos na Operação Dom Casmurro

Segundo a Polícia Civil, o servidor da Alepi e a empresária são apontados como líderes do esquema criminosos. Foi presa ainda uma professora do IFPI.
17/12/2020 12h23 - atualizado

Na manhã desta quinta-feira (17), a Polícia Civil prendeu um servidor da Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi), uma empresária e uma professora do Instituto Federal do Piauí (IFPI) de Simões durante a segunda fase da Operação Dom Casmurro.

Segundo a Polícia Civil, o servidor da Alepi identificado como Raimundo Wernes Fernandes Torres Filho, e a empresária Elmira Paulo Dias, são suspeitos de serem líderes do esquema criminoso com o objetivo fraudar procedimentos licitatórios e concursos públicos.

De acordo com informações da Polícia Civil, a operação deflagrada por meio da Delegacia de Combate à Corrupção (DECCOR), em parceria com o Ministério Público do Piauí (MPPI) através do GAECO, apurava possíveis fraudes em licitações que privilegiam o Instituto Machado de Assis e Crescer Consultorias.

Durante as investigações, a polícia comprovou que o grupo atuava há mais de 10 anos em fraudes de licitações e concursos públicos no Piauí e em outros estados. A operação também cumpre mandados de sequestro contra o patrimônio dos investigados que foram denunciados pelo MPPI pelos crimes de lavagem de dinheiro, organização criminosa e fraude de licitações em ação civil que está em trâmite na Comarca de Cocal.

Mais na Web