Piauí

Escolas públicas conquistam ouro na Olimpíada Piauiense de Química

Um dos destaques foram os alunos do Centro Estadual de Tempo Integral (CETI) João Henrique de Almeida, na zona Sul de Teresina, que conseguiram uma medalha de ouro, uma de prata e uma de bronze.
15/05/2021 11h30 - atualizado

Na última quinta-feira (13), a coordenação da Olimpíada Piauiense de Química (OPQ), divulgou o resultado da segunda fase da competição, com as escolas públicas estaduais conquistando duas das cinco medalhas de ouro.

Com o objetivo de estimular o ensino, o estudo e a pesquisa de Química e o intercâmbio entre professores da Universidade Federal do Piauí (UFPI) com professores e estudantes da Educação Básica, a Olimpíada Piauiense de Química (OPQ) vem conquistando cada vez mais a adesão de escolas públicas e particulares.

  • Foto: Divulgação/Governo do PiauíMedalhistas na Olimpíada Piauiense de QuímicaMedalhistas na Olimpíada Piauiense de Química

Um dos destaques foram os alunos do Centro Estadual de Tempo Integral (CETI) João Henrique de Almeida, na zona Sul de Teresina, que conseguiram uma medalha de ouro, uma de prata e uma de bronze, além de menções honrosas.

A gestora do CETI João Henrique, Djanira Alencar, ressalta que o resultado demonstra superação, apesar do momento de pandemia: “Esse resultado para nós é muito importante, pois demonstra que, em meio a todo este caos da pandemia e as dificuldades encontradas pelos docentes no trabalho remoto, conseguimos avançar e superar os desafios propostos, mantendo uma educação acessível e de qualidade”, disse.

A OPQ, evento integrante do Programa Nacional Olimpíadas de Química, é uma promoção da Associação Brasileira de Química (ABQ) e uma atividade de extensão da Universidade Federal do Piauí.

Os medalhados nas modalidades Ensino Fundamental e Ensino Médio 1 estão automaticamente classificados para a Olimpíada Norte e Nordeste de Química 2021 e para a Olimpíada Brasileira de Química 2021, Fase III.

A escola CETI Augustinho Brandão, de Cocal dos Alves também foi destaque. Seus alunos conseguiram uma medalha de ouro e outra de bronze, além de menções honrosas.

“Esse ano estamos mais firmes no modelo de aulas virtuais e os resultados estão sendo bons. A escola tem tradição em Química. Já saíram alunos medalhistas que hoje estão fazendo doutorado na área. E os resultados saindo em meio a esse novo normal, é muito estimulante para os alunos e professores. Aqui as famílias investiram muito para que os alunos tivessem equipamentos para as aulas renderem. Temos aulas em tempo integral, mesmo sendo virtuais”, relata o diretor Darkson Vieira Machado.

A técnica da Gerência do Ensino Médio da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), professora Sandra Nascimento, destaca que a secretaria e toda a rede apoiam integralmente as olimpíadas e competições escolares.

“A participação na Olimpíada Piauiense de Química é voluntária e passa pelo querer do professor da escola. Por isso, parabenizamos a todos os docentes que se envolveram e engajaram os alunos a acreditarem no seu potencial”, afirma a técnica.

Olimpíada Piauiense de Química (OPQ)

A OPQ é destinada aos alunos regularmente matriculados em escolas municipais, estaduais, federais e privadas, todas do Estado do Piauí, e é composta de duas fases. A Fase I é realizada no primeiro semestre de cada ano, internamente em cada uma das escolas, com critérios estabelecidos pela OPQ. 

Os estudantes com melhor classificação de cada série na escola, levando em consideração a nota de corte, que é 50% da maior nota, por escola, são inscritos na Fase II da OPQ, pelo representante da escola.  A Fase II da OPQ foi realizada em março deste ano e aconteceu de forma on-line.

Mais na Web