Geral

EUA, Reino Unido e França bombardeiam a Síria contra armas químicas

Os mísseis foram lançados por forças aéreas e marinhas dos três países.
14/04/2018 08h59 - atualizado

Os Estados Unidos, o Reino Unido e a França anunciaram na noite dessa sexta (13) que lançaram um ataque contra estabelecimentos de armas químicas na Síria, por volta das 22h, em resposta ao suposto ataque químico em Duma, no último dia 7 de abril. O regime sírio nega o uso de armas químicas.

De acordo com informações do G1, os mísseis foram lançados por forças aéreas e marinhas dos três países. O presidente americano Donald Trump fez um pronunciamento anunciando a execução do ataque.

  • Foto: U.S NavyEstados Unidos lançam ataque contra bases do governo sírioEstados Unidos lançam ataque contra bases do governo sírio

A ação foi confirmada pela premiê britânica Theresa May e pelo presidente francês Emmanuel Macron. May disse que a ação não significa uma intervenção na guerra da Síria, e que o Reino Unido fará o possível para evitar a morte de civis. Macron disse que o ataque é direcionado apenas contra o arsenal químico clandestino do regime sírio.

Os sistemas de Defesa da Síria teriam derrubado 13 mísseis em Al Kiswah, nos subúrbios de Damasco.

Alvos

Informações do Pentágono apontam que três alvos foram atingidos na Síria: um centro de pesquisa e produção de armas químicas e biológicas em Damasco, um armazém de armas químicas e uma base em Homs. Entre os alvos estão a Guarda Republicana e a 4ª Divisão, unidades de elite do exército sírio.

Síria

A TV Síria divulgou que ataques aéreos atingiram a capital Damasco e áreas ao redor. A mídia estatal síria criticou os ataques e chamou a ofensiva de uma violação da lei internacional.

Pelo Twitter, a presidência da Síria comentou a ofensiva de EUA, França e Reino Unido. No post, o governo escreveu que "as boas almas não serão humilhadas".

Rússia

Após o ataque, a Embaixada da Rússia nos EUA divulgou no Twitter um comunicado em tom de ameaça, no qual afirma que “tais ações não serão deixadas sem consequências” e que “insultar o presidente da Rússia é inaceitável e inadmissível”. Rússia e Irã são aliados de governo sírio.

Em seu discurso, Trump questionou diretamente Rússia e Irã. “Que tipo de país quer ser associado com mortes em massa de homens, mulheres e crianças inocentes? ”.

“A Rússia precisa decidir se irá continuar nesse caminho sombrio ou se irá se unir aos países civilizados como uma força de estabilidade e paz. Com esperança um dia nos daremos bem com a Rússia e talvez até com o Irã, mas talvez não”, disse Trump.

Mais na Web