Piauí

“Firmino deixa Teresina órfã”, diz ex-secretário Francisco Canindé

O ex-secretário de Finanças relata que conviveu com Firmino durante 28 anos, e destaca que em 2020, com a pandemia da Covid-19, foi o ano que Firmino mais se dedicou à cidade.
07/04/2021 07h51 - atualizado

O ex-secretário de Finanças de Firmino Filho, Francisco Canindé, esteve presente onde o corpo do ex-prefeito foi encontrado e declarou à imprensa que perdeu um grande amigo e professor, destacando que a trágica morte de Firmino deixa Teresina órfã.

Francisco Canindé relata que conviveu com Firmino durante 28 anos, e que aprendeu muito com o ex-gestor. O ex-secretário destaca que em 2020, com a pandemia da Covid-19, foi o ano em que Firmino mais se dedicou à cidade e que não media esforços para salvar vidas.

  • Foto: Lucas Klisman/ViagoraEx-secretário Francisco CanindéEx-secretário Francisco Canindé

“Ele foi um grande gestor, e na minha opinião, foi o ano que ele mais dedicou amor a essa cidade. Convivi com ele durante 28 anos, aprendi em todos esses anos, e aprendi muito nesse ano passado durante a pandemia, em que ele não media esforços em tomar medidas até antipopulares, mas acordava e dormia com a cabeça de preservar vidas, de preservar os cidadãos da terra que ele amou”, comenta.

Ainda segundo o ex-secretário de Finanças, ele conversa com Firmino semanalmente, e que o ex-prefeito ainda mantinha contato com ex-gestores da prefeitura. Francisco Canindé afirma que a morte precoce de Firmina deixa “Teresina órfã”.

“A gente conversava semanalmente, se reunia, conversava de tudo. Conversava da cidade, conversava amenidades, conversava de tudo em geral. Ele tava se encontrando com gestores da prefeitura, mantendo amizades, mantendo vínculos. Estamos sem entender ainda, eu pessoalmente perdi um grande amigo, um professor, alguém que acredito em mim e durante 28 anos convivi com esse homem que infelizmente nos deixa, deixa Teresina órfã”, finalizou Francisco Canindé.

Mais conteúdo sobre:

Mais na Web