Piauí

Firmino diz que Barragem de Castelo evitará alagamentos na capital

Firmino visitou áreas alagadas na zona Norte da cidade na manhã desta terça-feira e falou sobre a construção da barragem.
  • DA REDAÇÃO
09/04/2019 14h58

Nesta terça-feira (9), durante visita à zona Norte de Teresina, o prefeito Firmino Filho ressaltou a importância da construção da Barragem de Castelo para evitar alagamentos em Teresina.

Segundo ele, a barragem ajudaria a ter um maior controle do nível do rio Poti, semelhante ao que já acontece com o rio Parnaíba, que é controlado pela Companhia Hidrelétrica do Vale do São Francisco e Parnaíba (Chesf).

  • Foto: Divulgação/PMTPrefeito Firmino Filho no local da tragédiaPrefeito Firmino Filho no local da tragédia

Firmino Filho destacou que Teresina teve um inverno rigoroso e que nos últimos meses já choveu mais de 1.600 milímetros, quando o esperado para todo o ano é de 1.200 milímetros. “Para o rio Poti a solução definitiva passa por questões estruturais com a construção da barragem de Castelo, que é de responsabilidade do Governo do Estado. A obra já havia sido licitada, mas nunca foi construída. Vamos ter a construção da ponte que sai do centro esportivo da Universidade Federal do Piauí e encaixa no balão da coca-cola. Com a ponte, teremos uma elevação com a construção de uma estação elevatória”, explica.

  • Foto: Vitor FernandesO registro foi feito na manhã deste sábado (6)O registro foi feito na manhã deste sábado (6)

O prefeito destaca ainda que a região Norte da capital sofre menos com os alagamentos que eram constantes em períodos chuvosos devido às obras do Programa Lagoas do Norte. "O Programa Lagoas do Norte, é importante ressaltar, já fez muita coisa, tem muitas obras importantes, como construção de galerias, por exemplo. Mas nós temos que dar sequência nos próximos meses ao andamento delas, principalmente a questão do dique da Boa Esperança", reforça o prefeito.

Firmino Filho lembrou que, desde as primeiras chuvas, a Prefeitura vem acompanhando e dando assistência às famílias que moram em áreas de risco, sobretudo as ribeirinhas. Além disso, a Prefeitura também continua prestando assistência aos moradores da região do Parque Rodoviário e às famílias que foram prejudicadas após a enxurrada com o rompimento de um muro que fazia o represamento de uma água. A tragédia deixou dois mortos e famílias desabrigadas.

As 64 famílias que foram atingidas e perderam suas casas foram assistidas pelo programa Cidade Solidária. "A Prefeitura está atenta a todo tipo de assistência. As equipes de assistentes sociais, de engenheiros e também da saúde estão permanentemente no local prestando toda a assistência”, completou.

  • Foto: Hélio Alef/ViagoraLama invadiu residências do Parque RodoviárioLama invadiu residências do Parque Rodoviário

Parque Rodoviário

Ainda sobre o Parque Rodoviário, o chefe da administração pública municipal acrescentou que foi formada uma Comissão que reúne membros da Prefeitura, Governo do Estado, Universidade Federal do Piauí, CREA e CPRM para analisar as possíveis causas da tragédia no local para que as providências possam ser tomadas.

Mais na Web