Piauí

Firmino Filho quer impedir crescimento desordenado com novo plano

O prefeito de Teresina apresentou o Novo Plano de Ordenamento Territorial da Cidade (PDOT) em solenidade na sede do Poder Executivo municipal.
15/10/2019 15h00 - atualizado

Nesta terça-feira, 15 de outubro, a Prefeitura de Teresina, administrada pelo prefeito Firmino Filho (PSDB), lançou um plano para impedir o crescimento desordenado da cidade, visando à verticalização das áreas e o aumento da população em regiões centrais do município.

A solenidade de lançamento aconteceu no Palácio da Cidade, onde o gestor apresentou as diretrizes do Novo Plano de Ordenamento Territorial da Cidade (PDOT). Com ele, a prefeitura pretende implantar novas regras urbanísticas no município, com o objetivo de tornar a capital mais densamente povoada e melhorar o deslocamento por meio de transporte coletivo.

  • Foto: Kelvyn Coutinho/ViagoraPrefeito Firmino Filho (PSDB)O prefeito Firmino Filho apresentrou o novo Plano Diretor de Teresina.

“Temos um grande desafio. Teresina cresceu muito nas últimas décadas. Ela cresceu em termo de população, são mais de 800 mil habitantes. Cresceu também espacialmente. A cidade tem a população e a cidade se espalhou. Nos anos 1970 ir para o Jóquei era ir para a zona rural. Esse crescimento leva a cidade a se espalhar e precisamos enfrentar os problemas”, disse Firmino.

O prefeito destacou que o maior desafio é fazer com que os empreendedores construam nas áreas mais próximas ao Centro da cidade. Ele comentou ainda que isso tornaria mais barato custear a cidade, que está ficando cada vez mais cara e por isso necessita de uma racionalidade econômica.

“Quando a cidade se espalha fica mais caro manter essa cidade. As pessoas moram distante do Centro e gastam um tempo absurdo. Quem mora na região Sul para chegar no Centro passa 50 minutos, em consequência as frotas de veículos ficaram maiores. No século XXI a população deixou de crescer. A migração do campo para a cidade já se esgotou. Piora a qualidade de vida. Moramos distante de onde trabalhamos e estudamos distante de onde moramos. Isso prejudica nossa qualidade de vida”, afirmou o prefeito.

Firmino Filho destacou que o novo plano foi pensado para evitar que Teresina cresça desordenadamente e atinja o perímetro das cidades vizinhas, assim como para colocar a capital piauiense na tendência de verticalização de cidades como Barcelona, na Espanha.

  • Foto: Kelvyn Coutinho/ViagoraPrefeito Firmino Filho (PSDB)Para Firmino, a saída para Teresina continuar crescendo é a verticalização.

“Se a cidade continuar se espalhar daqui a pouco vamos chegar em Demerval Lobão, em União e Altos. A cidade vai ter dificuldades de prestar serviços para a população. A população do interior já não vem mais para Teresina como antigamente. A quantidade de pessoas por moradia diminuiu. Vamos ter cada vez mais dificuldades. O desafio é verticalizar e adensar a cidade. Isso dentro do perímetro urbano que existe”, informou.

O gestor municipal relatou ainda que o perímetro urbano da cidade foi congelado e, com o PDOT, a prefeitura quer inibir as ocupações.

“Temos o congelamento do perímetro urbano. Já fizemos, não pode alargar. E agora tem que se investir nesse perímetro. Temos dois vetores que levaram ao espalhamento: existiam as políticas oficiais como o Minha Casa Minha Vida, onde não existe cidade o terreno é mais barato. O desafio é fazer os investimentos onde a cidade precisa. As ocupações distantes ocorrerem porque nos bairros distantes os proprietários não têm incentivo para proteger os terrenos. No centro os terrenos são mais caros e eles protegem mais. A ocupação é um ato político e precisa da compreensão de todos”, finalizou.

Mais na Web