Piauí

GRECO explica detalhes de esquema de roubo de cargas no PI e MA

Na manhã de hoje, 30 de maio, o Grupo de Repressão ao Crime Organizado (GRECO) prendeu cinco pessoas acusadas de envolvimento no esquema, dentre elas, dois policiais militares.
30/05/2019 16h00 - atualizado

Na manhã desta quinta-feira, 30 de maio, o Grupo de Repressão ao Crime Organizado (GRECO) deu cumprimento a cinco mandados de prisão e quatro de busca e apreensão no âmbito da Operação Cargas, deflagrada ainda no ano passado, nas cidades de Teresina e Fortaleza.

A operação tem intuito de combater roubos de cargas nos estados do Piauí e do Maranhão e, além do GRECO, contou com apoio operacional da Divisão de Operações Especiais da Polícia Civil, GPE da Polícia Civil, BOPE, Corregedoria da Polícia Militar e Polícia Civil do Ceará.

  • Foto: Kelvyn Coutinho/ViagoraEquipe da Polícia Civil durante entrevista sobre Operação Cargas.Equipe da Polícia Civil durante entrevista sobre Operação Cargas.

Em entrevista coletiva, o coordenador do GRECO, delegado Tales Gomes, explicou que as pessoas presas hoje fazem parte do mesmo grupo criminoso do soldado Rafael dos Santos Leal e Abimael Pereira da Silva, presos em janeiro deste ano.

  • Foto: Kelvyn Coutinho/ViagoraDelegado Tales Gomes.Delegado Tales Gomes.

“Hoje foram presos os policiais militares Wanderley Rodrigues da Silva, conhecido como W. Silva, e Bruno Costa de Oliveira, além de Josué Oliveira Santos e Adolfo Cícero de Alencar Neto. As investigações indicam que os crimes eram realizados nas regiões de Caxias e Santa Inês no Maranhão, devido ao fato de que os policiais poderiam ser reconhecidos no Piauí, mas não descartamos a possibilidade de ter havido casos em cidades piauienses também”, disse.

Tales Gomes ainda informou que os acusados dispunham de informações privilegiadas sobre as cargas e o transporte das mesmas, facilitando as abordagens aos caminhões.

“Constatou-se que Josué, funcionário de transportadora, passava informações privilegiadas para Abimael e este indicava para seus comparsas qual caminhão ou empresa assaltar e Adolfo ajudava na logística dos roubos. Essa carga roubada no Maranhão era repassada aos poucos para Teresina, para dificultar a fiscalização”, relatou.

  • Foto: Kelvyn Coutinho/ViagoraDelegado Gustavo Jung.Delegado Gustavo Jung.

Segundo o delegado Gustavo Jung, que presidiu a investigação, os policiais presos eram quem realizavam as abordagens às cargas. “Eles se aproveitavam do fato de possuírem armas de fogo e passarem despercebidos por abordagens policiais para fazer a realocação do material em depósitos específicos. Após isso, todos eles faziam a comercialização da carga para terceiros, que inclusive são alvos de investigação do GRECO”, afirmou.

  • Foto: Kelvyn Coutinho/ViagoraObjetos apreendidos pelo GRECO em poder dos presos na Operação Cargas.Objetos apreendidos pelo GRECO em poder dos presos na Operação Cargas.

Gustavo Jung informou ainda que a Polícia Civil seguirá investigando o esquema de roubo de cargas. “A investigação continua, não se encerra. A cada prisão que nós fazemos, trabalhamos com um link maior de informações, tanto do pessoal dos estados vizinhos, Maranhão e Ceará, quanto do Piauí. Nisso, a gente passa a ter mais informações e pode identificar outros membros do grupo”, completou.

Os indivíduos presos na operação do GRECO serão indiciados pelos crimes de roubo e organização criminosa.

Mais na Web