Saúde

HGV completa 80 anos com implantação do serviço de cirurgia cardíaca

A instituição se destaca como referência também para pacientes com Covid-19, com mais de mil pessoas atendidos de abril de 2020 a março de 2021.
29/04/2021 17h15

Neste sábado (03), o Hospital Getúlio Vargas (HGV) completa 80 anos, e atualmente a instituição, inaugurada em 1941, conta com 349 leitos, 90 leitos de UTI, sendo 70 para pacientes com Covid-19 e 20 para outras especialidades.

Obedecendo as medidas restritivas do Governo do Estado, a programação para celebrar a data será híbrida, o que inclui um abraço simbólico de todos os colaboradores ao redor do hospital e uma missa em ação de graças, além da participação de um número restrito de pessoas e poderá ser acompanhada pelo canal YouTube.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Hospital Getúlio Vargas (HGV).Hospital Getúlio Vargas (HGV).

“Este ano comemoramos o 80º aniversário do Hospital Getúlio Vargas, o qual tenho orgulho de estar sendo gestor, liderando com muita responsabilidade e zelando por um bem precioso, que é um patrimônio do povo piauiense”, destaca o diretor-geral do HGV, Osvaldo Mendes.

O HGV conta também com um ambulatório integrado que atende mil pacientes por dia, com consultas e exames. Além de capacidade para executar uma média de 50 cirurgias de alta complexidade entre as 15 especialidades oferecidas, e possui 10 residências médicas e uma residência multiprofissional.

A instituição se destaca como referência também para pacientes com Covid-19, com mais de mil pessoas atendidos de abril de 2020 a março de 2021, quando foi admitido o primeiro paciente com suspeita da doença.

Ao completar 80 anos, a unidade se prepara para implantar mais um serviço relevante que é a cirurgia cardíaca. Para tanto, está recebendo obra física da nova UTI, com 20 leitos e a Unidade de Recuperação da Hemodinâmica com mais sete leitos, o que vai proporcionar a implantação do primeiro Serviço Público de Cirurgia Cardíaca e ampliar a realização de procedimentos de alta complexidade.

Transformação ao longo dos anos

Idealizado pelo interventor federal do Estado do Piauí, médico Leônidas de Castro Melo, que na época, determinou a elaboração do projeto de uma hospital moderno com feição de instituição de ensino, pesquisa, tudo igual e observado aos grandes centros, principalmente baseado no modelo do Hospital das Clínicas em São Paulo.

Para o HGV, a missão do hospital é proporcionar uma qualidade de vida melhor e mais saudável aos seus pacientes, oferecendo medicina de excelência e atendimento humanizado, além de Investir de forma constante em inovação e tecnologia aplicada em cirurgias minimamente invasivas e robótica hospitalar.

Atualmente, gerenciado pela Fundação Estatal Piauiense de Serviços Hospitalares (Fepiserh), o HGV está totalmente transformado e é reconhecido como referência para alta complexidade no Estado do Piauí e para o meio norte do país.

Tendo conquistado a certificação conquistada por instituições que atendem aos critérios de segurança do paciente em todas as áreas de atividade, incluindo aspectos estruturais e assistenciais, apresenta gestão integrada, com processos que ocorrem de maneira fluida e comunicação plena sobre as atividades.

Para o presidente da Fepiserh, Ítalo Rodrigues, o HGV é referência e possui uma excelente equipe de profissionais: “Historicamente, o HGV se consolidou como o melhor e maior serviço de alta complexidade do Piauí e, agora, transformou-se referência no tratamento de uma doença que desafia o mundo. Isso é possível graças à incrível equipe de profissionais que se dedica com muito amor pelo que faz. Nesses 80 anos, o HGV salvou vidas, formou profissionais e escreveu uma bonita história”, destacou.

As parcerias que o HGV mantém com instituições reconhecidas nacionalmente, como Hospital Albert Einstein (HAE), Hospital Sírio Libanês e Hospital Osvaldo Cruz (HOC), mantém o hospital com diversos intercâmbios tecnológicos e de treinamento, o conhecimento e fomento à pesquisa, sempre aprimorando os conceitos e os métodos aplicados na instituição.

Mais na Web