Piauí

HGV é selecionado para participar de projeto do Ministério da Saúde

O projeto Lean nas Emergências busca otimizar o fluxo dos atendimentos hospitalares de urgência e emergência de forma sustentável, integrada e resolutiva.
24/10/2020 16h45 - atualizado

O Hospital Getúlio Vargas (HGV) foi um dos 40 selecionados em todo o Brasil para participar do Lean nas Emergências, projeto do Ministério da Saúde que tem como objetivo a redução de filas para cirurgia.

O 3º Workshop do Projeto aconteceu nessa sexta-feira (23) e reuniu profissionais das diversas áreas do hospital. Este é o quarto ciclo do projeto, em busca de otimizar o fluxo dos atendimentos hospitalares de urgência e emergência de forma sustentável, integrada e resolutiva, melhorando o atendimento.

  • Foto: Divulgação/AscomHGV participa do projeto LeanHGV participa do projeto Lean nas Emergências.

Segundo o consultor do projeto e especialista em processos do Hospital Sírio Libanês, Adriano Sales Fernandes, a participação do HGV está atendendo às expectativas. “Nessa última visita presenciamos bons resultados. Somente em um dia, três cirurgias deixaram de ser suspensas por conta de tomadas de ações identificadas no Huddle (micro-reuniões que acontecem três vezes ao dia diante do painel do mapa cirúrgico), pois conseguimos realocar”, conta Sales.

O diretor do HGV, Gilberto Albuquerque, explica que o treinamento tem sido importante para melhorar a gestão no hospital. "O Projeto Lean tem contribuído com o treinamento da equipe em ferramentas de gestão muito importantes para a melhoria da gestão hospitalar, otimizando os fluxos e giro de leitos. Esperamos ao final do Projeto alinhar melhor o funcionamento do centro cirúrgico e reduzir as filas de espera por cirurgias no HGV", destaca.

O presidente da Fundação Piauiense de Serviços Hospitalares (FEPISERH), Dr. Pablo Santos, também destacou a importância do Projeto. “Todos nós, gestores, profissionais de saúde e a população ganhamos com esse projeto, que já é um modelo implantado em vários hospitais do Brasil, e cuja eficácia também já vem sendo reconhecida através da redução de filas de espera, melhoria dos fluxos internos, bem como na diminuição dos custos e da superlotação”, pontuou Pablo Santos.

Mais na Web