Polícia

Homem é condenado a 32 anos de prisão por feminicídio em Ilha Grande

Após matar a companheira, o homem ocultou o cadáver no interior de um buraco de 80 centímetros de profundidade. O crime aconteceu em 2019.
  • LETÍCIA DUTRA
16/10/2021 07h11 - atualizado

O Ministério Público do Piauí, representado pelo promotor de Justiça Rômulo Paulo Cordão, que responde pela 5ª Promotoria de Justiça de Parnaíba, obteve, nessa quinta-feira, 14 de outubro, a condenação do réu Francisco Olavo Silva Vasconcelos. O réu foi condenado à pena de 32 anos de reclusão em regime fechado.

O Conselho de Sentença acolheu integralmente a tese apresentada pelo MPPI. Segundo o promotor, o crime de feminicído aconteceu na zona rural do município de Ilha Grande-Piauí, no dia 7 de junho de 2019. A vítima foi asfixiada até a morte pelo acusado. Após matar a companheira, o homem ocultou o cadáver no interior de um buraco de 80 centímetros de profundidade no quintal de sua casa localizada por uma guarnição policial após quatro dias de buscas pelo corpo.

O Promotor de Justiça Rômulo Cordão ainda destacou que as vítimas de feminicídio são duplamente ofendidas.

“As vítimas deste tipo de crime são ofendidas pelo menos duas vezes, uma quando tem a vida covardemente ceifada, a outra, quando em plenário do júri a tentativa de sempre desqualificar, um verdadeiro estupro da memória”, afirma o Promotor de Justiça Rômulo Cordão.

Mais na Web