Piauí

Hospitais do Piauí comemoram fechamento de Alas Covid-19

De acordo com a Sesapi, a decisão foi tomada levando em consideração a queda do número de casos e consequentemente de internações pela doença, devido à aceleração da vacinação dos piauienses.
02/08/2021 14h15 - atualizado

Na última semana de julho, três hospitais da Rede Estadual de Saúde do Piauí fecharam suas alas exclusivas para atendimento de pacientes com a Covid-19.

De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi), a decisão foi tomada levando em consideração a queda do número de casos e consequentemente de internações pela doença, devido à aceleração da vacinação dos piauienses.

  • Foto: DivulgaçãoHospitais fecham alas CovidHospitais fecham alas Covid

Os três hospitais da que fecharam suas alas exclusivas para atendimento de pacientes com a doença foram Hospital Estadual Domingo Chaves, em Canto do Buriti, Hospital Estadual Dirceu Arcoverde, na cidade de Parnaíba e o Hospital da Polícia Militar na capital Teresina.

O secretário de Estado da Saúde, Florentino Neto, ressalta que o fechamento dos leitos não significa que a pandemia tenha acabado e que ainda devemos manter as medidas de precauções.

“O fechamento desses leitos não significa que vencemos a guerra contra o vírus, é só uma batalha, mas nos deixa muito animados e já podemos perceber que a vacinação está surtindo seus efeitos, porém ainda devemos manter os cuidados preventivos”, destacou.

Conforme o gestor, com o fechamento da ala no HEDA os pacientes do Território do Litoral poderão ser atendidos nos casos da doença, através do Anexo II, que funciona no Hospital Nossa Senhora de Fátima e conta com 20 leitos de UTI, 20 leitos clínicos adulto, 07 leitos clínicos pediátricos e 03 leitos de estabilização.

“Esses equipamentos estarão disponíveis agora para tratamento de outras doenças, que precisaram ser paralisados devido à pandemia. Porém todos esses leitos que estão sendo desativados, caso haja necessidade, poderão voltar a ser direcionado ao tratamento da doença. Isso a gente diz para transmitir a tranquilidade devida à população”, pontuou.

No pico da pandemia do coronavírus, Hospital Estadual Dirceu Arcoverde chegou a ter em suas instalações 30 leitos de UTI, 10 clínicos de 02 de estabilização, voltados exclusivamente para pessoas acometidas pela doença.

Na região do Sul do Piauí o Hospital Estadual Domingo Chaves, em Canto do Buriti, também fechou, no último sábado (31), a Ala Covid-19, após 24 horas da última alta de paciente acometido pela doença.

Já em Teresina o Hospital da Polícia Militar encerrou as atividades da Ala Covid-19- na sexta-feira 30 de julho, após alta do último paciente. Ficaram internados na unidade de saúde 1.244 pessoas acometidas pelos agravos do vírus.

Também foram atendidos no hospital 8.998 pacientes em demanda espontânea (consultas ou exames), além da testagem de 5.097 profissionais da Segurança Pública, ao todo foram 13.768 atendimentos clínicos de Covid-19 realizados pelo HPM.

A partir desse domino (01), o HPM voltou a funcionar 100% para serviços de cirurgias e consultas eletivas, que estavam sendo retomados de forma gradativa, desde meados de julho. A unidade também liberou vagas para pacientes da Regulação Estadual nas especialidades ortopedia e cirurgia geral.

“A retomada dos serviços só foi possível após a queda no número de internações em leitos de UTI e clínicos, em todo o Piauí, devido à aceleração da nossa vacinação. Esta semana ainda devemos lançar um programa de mutirão de cirurgias para atender a população que aguarda na fila de regulação”, disse Florentino.

Em Teresina, dez hospitais da rede pública ainda estão com alas Covid-19 abertas para atendimento da população que contrair a doença.

Hospitais

- Hospital Areolino de Abreu;

- Instituto de Doenças Tropicais Natan Portela;

- Hospital Getúlio Vargas;

- Hospital de Urgência de Teresina;

-  Hospital do Dirceu II;

- Hospital do Parque Piauí;

- Hospital Geral do Monte Castelo;

- Hospital Infantil Lucídio Portella;

- Hospital Universitário;

- Maternidade Dona Evangelina Rosa.

Mais na Web