Geral

Inflação desacelera para todas as faixas de renda em abril, diz Ipea

De acordo com a análise realizada pelo Ipea, a redução no ritmo de aumento de preços foi mais forte entre as famílias de maior renda.
14/05/2021 15h00 - atualizado

O Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea) divulgou nesta sexta-feira (14), que a inflação de abril desacelerou em relação a março para todas as faixas de renda.

De acordo com a análise realizada pelo Ipea, a redução no ritmo de aumento de preços foi mais forte entre as famílias de maior renda, que também acumulam menor inflação em um período de 12 meses.

Segundo o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), medido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o aumento mensal de preços em abril foi mais intenso entre as famílias de renda muito baixa, onde a inflação passou de 0,71% em março para 0,45% em abril. Em 12 meses, o acúmulo da inflação foi de 7,71%, enquanto a inflação geral foi de 6,76%.

Ainda segundo o IBGE, as famílias de renda alta acumulam uma inflação anualizada de 5,21%, abaixo do índice geral. Para elas, a inflação mensal caiu de 1% em março para 0,23% em abril.

O Ipea explica que, em abril, o grupo de saúde e cuidados pessoais constituiu o principal fator de pressão sobre os preços, com a alta de produtos farmacêuticos.

Para as famílias de renda mais baixa, esse quadro se soma ao peso do aumento das carnes, aves, ovos, leites e derivados. E ainda sim, contribuíram para a desaceleração da inflação entre os mais pobres as quedas de tarifas de energia elétrica, ônibus intermunicipais e botijão de gás.

Já para os mais ricos, o peso do encarecimento de alimentos e medicamentos é menor, o que se soma à deflação de combustíveis e transportes por aplicativo.

Mais conteúdo sobre:

Mais na Web