Política

Iracema Portella diz que Progressistas quer manter cargos federais

“Amanhã mesmo irá ter uma reunião lá com a bancada federal pra que nós possamos decidir essa questão dos cargos federais aqui no estado do Piauí", relatou.
11/02/2019 15h20 - atualizado

A deputada federal Iracema Portella (Progressistas) informou que o seu partido vai buscar manter a participação no Governo, através dos cargos federais no Piauí. Ela concedeu entrevista à TV Cidade Verde, na tarde desta segunda-feira (11).

  • Foto: Facebook / Iracema PortellaDeputada federal Iracema PortellaDeputada federal Iracema Portella

“Amanhã mesmo irá ter uma reunião lá com a bancada federal pra que nós possamos decidir essa questão dos cargos federais aqui no estado do Piauí. Nós queremos continuar com o que nós já temos, no caso, DNOCS, CODEVASF, Agricultura, que vai para a deputada Margarete, e tantos outros cargos que serão direcionados para o partido Progressistas”, contou.

A parlamentar também falou sobre a Reforma da Previdência. Para ela, deve haver uma preocupação maior com a população de baixa renda e a reforma prevista para acontecer no governo de Bolsonaro deve ser apreciada com cautela.

“(A Reforma) é prioritária para o nosso pais, acho que todos concordam com isso. E nós precisamos, sim, tomar certos cuidados com relação à Reforma da Previdência, porque hoje as pessoas que ganham mais são privilegiadas, porque se aposentam antes, e nós precisamos cada vez mais privilegiar as pessoas menos favorecidas, as pessoas que ganham menos, porque você nunca vê uma pessoa que ganha um salário mínimo se aposentar cedo. Isso não pode. Também outro ponto que é importante, que o Progressistas defende, é a questão dos trabalhadores rurais. Os trabalhadores rurais têm uma expectativa de vida menor perante os outros trabalhadores, então é importante que a gente não mexa muito com os trabalhadores rurais. É importante que eles fiquem isentos de algo que prejudiquem mais ainda eles”, defendeu.

Iracema Portella reconhece que não haverá consenso sobre as mudanças nessa área e diz que o apoio ao governo de Bolsonaro dependerá da forma como o Piauí será tratado nesse mandato. “Nós estamos aguardando que ele esteja bem pra que já conduza todo esse processo”, relatou.

Mais na Web