Piauí

Jacy Prado é o novo diretor-presidente da Águas de Teresina

Segundo a empresa, Jacy substitui o administrador Cleyson Jacomini, que permaneceu na empresa por mais de dois anos.
01/07/2021 08h22 - atualizado

A partir desta quinta-feira 1º de julho, a Águas de Teresina tem um novo diretor-presidente, o economista Jacy Prado, que estava à frente da Regional da Aegea Saneamento em São Paulo.

Segundo a Águas de Teresina, Jacy substitui o administrador Cleyson Jacomini, que permaneceu na empresa por mais de dois anos e foi responsável por resultados significativos na capital, como a ampliação dos serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário, levando a cidade a alcançar a universalização do abastecimento de água tratada na zona urbana em 2020.

  • Foto: Divulgação/Àguas de TeresinaJacy PradoJacy Prado

Cleyson assume novos desafios no grupo e irá integrar a equipe que assumirá o serviço de abastecimento de água e esgoto nos lotes vencidos pela Aegea no Estado do Rio de Janeiro. Em Teresina, Jacy fica responsável por importantes metas da concessionária local, como a realização de mais investimentos na área de esgotamento sanitário da zona urbana da capital. A Águas de Teresina realiza ainda este ano um pacote de obras que envolve a construção de Estações Elevatórias e de Tratamento de Esgoto, além de novas ligações ao sistema.

Novo gestor tem experiência no mercado financeiro

Jacy Prado tem mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, assessorando empresas no desenvolvimento de soluções estratégicas e financeiras com foco no setor de infraestrutura, como estruturação de projetos, Parcerias Público Privadas (PPPs) e concessões. Ingressou na Aegea em 2018, na área Institucional e Financeira e, antes disso, foi responsável pela estruturação de mais de 60 projetos de infraestrutura com consultoria própria, sendo a maior parte em saneamento.

À frente da Regional da Aegea em São Paulo, Jacy teve conquistas expressivas como a implantação do Secador Solar de Lodo, em 2020, com capacidade de secar, aproximadamente, 70% da água de lodo, reduzindo o volume em um terço do total de todo o lodo gerado no processo de tratamento. A iniciativa resulta em 1.800 toneladas de compostagem orgânica destinada à agricultura.

Mais conteúdo sobre:

Mais na Web