Política

Jeová Alencar quer cancelar licitação do transporte coletivo

O presidente da Câmara Municipal afirmou que entrou com requerimento pedindo o cancelamento da licitação, já que, na sua opinião, os empresários não estão cumprindo com o edital.
19/02/2021 06h43 - atualizado

Nas últimas semanas, a população teresinense enfrenta problemas para se locomover na cidade, devido à greve do transporte público que já se encaminha para o seu 12º dia. Motoristas e cobradores reivindicam o pagamento integral dos salários e de outros benefícios, como ticket alimentação e plano de saúde.

O presidente da Câmara Municipal de Teresina, vereador Jeová Alencar (MDB), concedeu entrevista à imprensa e comentou sobre a audiência pública marcada para acontecer na próxima terça-feira (23) na Casa, onde será discutida a questão com representantes do Ministério Público, Tribunal de Contas, Setut, Sintetro e do Poder Executivo.

“A audiência vai acontecer na próxima semana. A cidade está parada, o transporte público parado, as pessoas sofrendo, os motoristas e cobradores com seus salários atrasados e o usuário pagando uma das passagens mais caras do Brasil para um dos piores sistemas de transporte”, disse.

  • Foto: Luís Marcos/ViagoraVereador Jeová AlencarVereador Jeová Alencar (MDB).

O vereador afirmou que já foi protocolado um requerimento de sua autoria para cancelar a licitação que trata da operação do transporte coletivo na capital piauiense.

“Nós já entramos com um requerimento pedindo o cancelamento da licitação, uma vez que os empresários não estão cumprindo o edital. Não é fácil, não tem varinha mágica para transformar do dia para a noite, mas alguma coisa tem que ser feita”, comentou.

Jeová declarou que é a favor de uma possível municipalização do serviço, proposta pelo prefeito Dr. Pessoa (MDB) ainda na época da campanha eleitoral.

“O Poder Executivo tem que procurar uma saída para que se possa melhorar o transporte público em Teresina. Quem pode detalhar os dados sobre recursos [para a municipalização] é o prefeito, o secretário de Finanças, e o superintendente da Strans”, opinou.

Questionado sobre as declarações de empresários do setor, que afirmam que a Prefeitura de Teresina não estaria cumprindo com o contrato firmado com as empresas, Jeová afirmou que a iniciativa privada é quem está falhando em cumprir a sua parte.

“Quem não está cumprindo [com o contrato] são os empresários. Existe um contrato, é verdade, mas você vai para o Consórcio Norte, há dois anos atrás veio um empresário que tomou 15 ônibus de um empresário daqui porque não pagou. No contrato, não é permitido que a documentação dos ônibus esteja em nome de terceiros e está, ou seja, em quatro anos era para todos os ônibus das linhas alimentadoras terem ar condicionado e também não tem. Não estão trocando a frota, estão abrindo portas no lado esquerdo porque não estão comprando ônibus novos. Então tudo isso não adianta, esse sistema faliu. Não adianta querer que a prefeitura pague, que o povo mais uma vez seja assaltado. Não adianta fazer vista grossa, porque se a prefeitura injetar o que eles estão pedindo, daqui a dois ou três meses vai estar do mesmo jeito. Eles perderam o poder de investimento por falta de administração das próprias empresas”, finalizou.

Mais na Web