Polícia

Juiz decreta sigilo do processo que apura morte da advogada Izadora Mourão

A decisão é do juiz Diego Ricardo Melo de Almeida, da 2ª Vara da Comarca de Pedro II. O crime aconteceu no último sábado (13).
20/02/2021 13h40 - atualizado

O juiz Diego Ricardo Melo de Almeida, da 2ª Vara da Comarca de Pedro II, decretou, nessa sexta-feira (19), o sigilo dos autos do processo que investiga a morte da advogada Izadora Mourão, morta a facadas dentro de casa, no último sábado (13), em Pedro II.

Com o sigilo, as informações sobre o andamento do processo estão disponíveis apenas para o Ministério Público, o magistrado e algum servidor autorizado. Nenhuma outra informação sobre o caso, será pública.

  • Foto: DivulgaçãoAdvogada Izadora Murão e o irmão João Paulo MourãoAdvogada Izadora Murão e o irmão João Paulo Mourão

O pedido foi feito pela autoridade policial que alegou que tal providência é imprescindível para a elucidação do crime. Segundo o magistrado, a decisão partiu do Ministério Público. 

"O crime investigado causou grande comoção na comunidade local, sendo que por conta da repercussão várias pessoas tiveram acesso aos autos e a chance de vazamento de informações está latente", disse o magistrado.

Mais na Web